???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tedebc.ufma.br/jspui/handle/tede/tede/3503
Tipo do documento: Tese
Título: CARACTERIZAÇÃO DE METABÓLITOS E ATIVIDADE CITOTÓXICA DO EXTRATO DE Penicillium purpurogenum DE AMBIENTE MARINHO EM MODELO DE CÂNCER DE MAMA IN VITRO E IN VIVO.
Título(s) alternativo(s): CHARACTERIZATION OF METABOLITES AND CYTOTOXIC ACTIVITY OF Penicillium purpurogenum EXTRACT DERIVED FROM A MARINE ENVIRONMENT IN AN IN VITRO AND IN VIVO BREAST CANCER MODEL.
Autor: TELES, Amanda Mara 
Primeiro orientador: NASCIMENTO, Maria do Desterro Soares Brandão
Primeiro coorientador: SANTOS, Ana Paula Silva de Azevedo dos
Segundo coorientador: SOUZA, Fernando Almeida
Primeiro membro da banca: NASCIMENTO, Maria do Desterro Soares Brandão
Segundo membro da banca: SANTOS, Ana Paula Silva de Azevedo dos
Terceiro membro da banca: SOUZA, Fernando Almeida de
Quarto membro da banca: SILVA, Ana Lúcia Abreu
Quinto membro da banca: BORGES, Antônio Carlos Romão
Resumo: O microfungo é uma fonte promissora e ainda pouco explorada de novas substâncias químicas direcionadas a atividade antitumoral, que neste cenário representam uma área com potencial de desenvolvimento. Para melhor elucidar o papel do extrato de Penicillium purpurogenum, este estudo investigou o efeito antitumoral in vitro em células tumorais de mama (MDA-MB-231 e MCF-7) e em modelo in vivo de tumor murino de Ehrlich. O extrato de P. purpurogenum foi fermentado por 21 dias, filtrado, concentrado e liofilizado, dando origem a dois extratos: de acetato de etila do caldo (FR1) e da biomassa micelial (FR2). Para a determinação da composição química dos extratos foi realizado análise química por infusão direta (ESI/MS). Para avaliação da citotoxicidade foi utilizado o ensaio de MTT (brometo de [3-(4,5-dimetiltiazol-2yl)-2,5-difenil tetrazolium]),com as linhagens de câncer de mama nos tempos de 24, 48 e 72 horas. No ensaio in vivo com tumor de Ehrlich foram utilizados camundongos da linhagem Swiss fêmeas separadas em sete grupos (n=10/grupo). O tratamento intraperitoneal foi feito diariamente, com solução tampão fosfato no grupo controle negativo (CTL-), com ciclofosfamida (25 mg/kg) no grupo controle positivo (CTL+) e com o extrato de fungo (FR1) nas doses 4, 20 e 100 mg/kg no grupo experimental. Metade dos animais de cada grupo foram eutanasiados 15 dias após o inóculo do tumor, e a outra metade foi mantida viva para acompanhamento da sobrevida. O desenvolvimento tumoral foi avaliado pelo peso dos animais, volume e área da pata inoculada e, após a eutanásia, o peso tumor. O sangue total foi coletado para determinação de parâmetros hematológicos. Baço, médula e linfonodo drenante foram obtidos para realização da contagem das células linfóides. Fragmentos da pata com tumor, rim e fígado foram avaliados histopatologicamente. Os resultados da análise química demonstraram que os extratos FR1 e FR2 são ricos em meroterpenoides. Na avaliação in vitro o extrato FR1 apresentou citotoxicidade com IC50, mas baixos quando comparados a FR2, para MCF-7 com IC50 de 43,97µg/mL, 23,01µg/mL e 13,85µg/mL, enquanto que, para a MDA-MB-231, IC50 de 170µg/mL, 44,60µg/mL e 25,46µg/mL em 24, 48 e 72h, respectivamente. Na verificação do índice de sensibilidade (IS) foi observado que ambos os extratos mostraram uma melhor seletividade do que as drogas padrões. No ensaio in vivo, o desenvolvimento do tumor após tratamento demonstrou que os grupos tratados com FR1, em todas as doses, e CTL+ apresentaram uma redução significativa da área do tumor quando comparados ao CTL-. O tratamento com FR1 promoveu ainda um aumento da expectativa de vida dos animais portadores de tumor. A celularidade dos órgãos linfoides dos animais tratados com FR1 apresentou uma redução dose dependente quando comparadas ao CTL-. Ao avaliar as citocinas no soro dos animais, a produção de TNF-α foi maior no grupo sem indução tratado com o extrato quando comparado ao CTL-. Não houve alteração dos parâmetros hematológicos analisados em nenhum dos grupos. Em relação à análise histopatológica, os grupos tratados com o extrato nas doses de 20 e 100mg/kg apresentaram infiltrados inflamatórios menos intensos. Os grupos tratados com maior concentração do extrato exibiram menores áreas de necrose. Estes resultados indicam que o extrato de P. purpurogenum exibe propriedade antitumoral, sugerindo ainda que seu papel imunomodulador estaria envolvido nessa resposta.
Abstract: Microfungi are a promising yet unexplored source of new chemical substances with antitumor activity, which in this scenario represent an area with potential for development. To further elucidate the role of Penicillium purpurogenum extract, this study investigated the in vitro antitumor effect on breast tumor cells (MDA-MB-231 and MCF-7) and an in vivo murine Ehrlich tumor model. P. purpurogenum was fermented for 21 days, filtered, concentrated and lyophilized, giving rise to two extracts: ethyl acetate extract of the broth (FR1) and of the mycelial biomass (FR2). For the determination of the chemical composition of the extracts a chemical analysis was performed by direct infusion (ESI/MS). For the evaluation of the cytotoxicity, a MTT [(3-fluorouracil-2-yl) -2,5-diphenyl-tetrazolium bromide] assay was performed with cancer cell lines in the times of 24, 48 and 72 hours. In the in vivo experiment with Ehrlich's tumor, Swiss females were separated into seven groups (n = 10 / group). The intraperitoneal treatment was done daily with phosphate buffer solution in the negative control group (CTL-), with cyclophosphamide (25 mg/kg) in the positive control group (CTL+) and the fungus extract (FR1) at doses 4, 20 and 100 mg/kg in the experimental group. Half of the animals in each group were euthanized 15 days after tumor inoculation, and the other half was kept alive for survival follow-up. Tumor development was evaluated by the weight of the animals, volume and area of the inoculated paw and, after euthanasia, the tumor was weighted. Total blood was collected for the determination of haematological parameters. Spleen, medulla and draining lymph node were obtained for lymphoid cell count. Fragments of the paw with tumor, kidney and liver were histopathologically evaluated. The results of the chemical analysis demonstrated that extracts FR1 and FR2 are rich in meroterpenoids. In the in vitro evaluation, the FR1 extract presented cytotoxicity for MCF-7 with IC50 values of 43.97μg / mL, 23.01μg / mL and 13.85μg / mL. For MDA-MB-23, IC50 values found were of 170 μg / mL, 44.60 μg / mL and 25.46 μg / mL in 24, 48 and 72 h, respectively. All these values were lower when compared to FR2. In the verification of the sensitivity index (SI) it was observed that both extracts showed a better selectivity than the standard drugs. In the in vivo assay, tumor development after treatment demonstrated that the FR1, at all doses, and CTL + treated groups showed a significant reduction of tumor area when compared to CTL-. Treatment with FR1 also promoted an increase in the life expectancy of the tumor bearing animals. The cellularity of the lymphoid organs of FR1 treated animals presented a dose dependent reduction when compared to CTL-. When evaluating the cytokines in the serum of the animals, TNF-α production was higher in the non-induction group treated with the extract when compared to CTL-. There was no change in the haematological parameters analyzed in any of the groups. Regarding the histopathological analysis, the groups treated with the extract at doses of 20 and 100 mg/kg presented less intense inflammatory infiltrates. The groups treated with higher concentrations of the extract showed smaller areas of necrosis. These results indicate that the extract of P. purpurogenum exhibits antitumor property, suggesting that its immunomodulatory role would be involved in this response.
Palavras-chave: Câncer;
tumor de Ehlich;
Penicillium purpurogenum;
meroterpenoides;
antitumoral;
MCF-7;
MDA-MB-231;
MCF-10A
Cancer;
Ehlich tumor;
Penicillium purpurogenum;
antitumoral;
meroterpenoids;
MCF-7;
MDA-MB-231;
MCF-10A
Área(s) do CNPq: Cancerologia
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal do Maranhão
Sigla da instituição: UFMA
Departamento: DEPARTAMENTO DE MEDICINA I/CCBS
Programa: PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA - RENORBIO/CCBS
Citação: TELES, Amanda Mara. Caracterização de metabólitos e atividade citotóxica do extrato de Penicillium purpurogenum de ambiente marinho em modelo de câncer de mama in vitro e in vivo.. 2020. 149 f. Tese( Programa de Pós-Graduação em Biotecnologia - RENORBIO/CCBS) - Universidade Federal do Maranhão, São Luís, 2020.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: https://tedebc.ufma.br/jspui/handle/tede/tede/3503
Data de defesa: 14-Jul-2020
Appears in Collections:TESE DE DOUTORADO - PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA/RENORBIO

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
AMANDA MARA TELES.pdfTese de Doutorado46,14 MBAdobe PDFDownload/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.