???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tedebc.ufma.br/jspui/handle/tede/tede/2794
Tipo do documento: Dissertação
Título: Desigualdade, Interseccionalidade e políticas públicas: um estudo das narrativas da mídia sobre a epidemia de Zika vírus de maio de 2015 a maio de 2017.
Título(s) alternativo(s): Inequality, intersectionality and public policies: a study of the media narratives about the Zika virus epidemic from May 2015 to May 2017.
Autor: BRAGA, Ivana Márcia Moraes 
Primeiro orientador: ROCHA, Lourdes de Maria Leitão Nunes
Primeiro membro da banca: ROCHA, Lourdes de Maria Leitão Nunes
Segundo membro da banca: SOUSA, Salviana de Maria Pastor Santos
Terceiro membro da banca: NASCIMENTO, Silvane Magali Vale
Resumo: A mídia ocupa lugar central na contemporaneidade com impactos em várias áreas do conhecimento e da vida. Neste trabalho, analisam-se as narrativas da mídia sobre a epidemia de Zika vírus nos jornais O Estado do Maranhão e Folha de São Paulo, no período de maio de 2015 a maio de 2017. A abordagem considera as contradições sociais, a historicidade dos sujeitos e das lutas sociais, as condições socioeconômicas e culturais de produção dos discursos a fim de construir uma análise que tenha como pressuposto as múltiplas determinações da realidade. Desenvolveu-se a pesquisa a partir de uma perspectiva histórica e considerando as contradições sociais para apontar os processos de exclusão social, exploração e dominação da população negra, buscando articular desigualdade sociais, raciais e de gênero no processo saúde-doença. Destaca-se também a produção feminista de conhecimento sobre as relações de gênero e a desnaturalização da inferioridade das mulheres, além de explicitar avanços e tensões entre perspectivas teóricas. Nesse contexto, apresenta-se a teoria da interseccionalidade como referencial teórico-metodológico com mais possibilidades de realizar aproximações à experiência de vida de mulheres negras. Ocupamo-nos, ainda, em investigar a influência da mídia na condição de sujeito do processo de políticas públicas sua relação com o campo político e econômico, a participação na tipologia Ciclo da Política Pública e no modelo Multiple Streams e a interrelação entre a agenda midiática (media agenda-setting), agenda pública (public agenda-setting) e agenda governamental (policy agenda-setting). Analisam-se os principais temas que compuseram a narrativa da epidemia de Zika vírus, considerando a forma como as categorias gênero, raça e classe social emergiriam nesses discursos, bem como outras que apareceram em associação como patriarcado e mulher. As narrativas da mídia sobre a epidemia de Zika vírus, em sua maioria, centraram-se na cobertura das ações governamentais, com foco nas atividades de combate ao mosquito Aedes e contribuíram para naturalizar as desigualdades e o adoecimento, fortalecendo os estereótipos de gênero, a invisbilização e silenciamento de mulheres negras como as mais afetadas, além de evidenciar a estreita relação entre a agenda midiática e governamental que favorece a manutenção da ordem social calcada no racismo, sexismo, patriarcalismo e naturalização da pobreza, prejudicando a formulação de políticas públicas mais assertivas, e que incorporem as demandas de sujeitos subalternizados.
Abstract: The media occupies a central place in the contemporary world with impacts on several areas of knowledge and life. In this work, we focus on analyzing the media narratives about the Zika virus epidemic in the newspapers O Estado de Maranhão and Folha de São Paulo, from May 2015 to May 2017. Our approach considers social contradictions, the historicity of subjects and social struggles, the socioeconomic and cultural conditions of the discourse production in order to construct an analysis that has as assumptions the multiple determinations of reality. We develop the research from a historical perspective and considering the social contradictions to point out the processes of social exclusion, exploitation and domination of the black population, seeking to articulate social, racial and gender inequality in the health-disease process. We also highlight the feminist production of knowledge about gender relations and denaturalization of female inferiority, in addition to explaining advances and tensions between theoretical perspectives. In this context, we present the intersectionality theory as a theoretical-methodological reference with more possibilities of making approximations to the life experience of black women. We also investigate the influence of the media as a subject of the public policy process and its relationship with the political and economic field, as well as characterize its participation in the Public Policy Cycle typology and the Multiple Streams model. We are also concerned with demonstrating the interrelationship among the media agenda-setting, the public agenda-setting, and the policy agenda-setting. We analyzed the main themes that compose the narrative of the Zika virus epidemic, considering how the categories gender, race and social class would emerge in these discourses, as well as others that appeared in association as patriarchy and woman. Based on this study, we observed that the media narratives on the Zika virus epidemic mostly focused on coverage of government actions, focusing on activities to combat the Aedes mosquito and contributed to naturalize inequalities and illness, strengthening the gender stereotypes, the invisibilization and silencing of black women as the most affected, as well as highlighting the close relationship between the media and governmental agenda that favors the maintenance of the social order based on racism, sexism, patriarchy and naturalization of poverty, harming the formulation of more assertive public policies, and that incorporate the demands of subalternized subjects.
Palavras-chave: Mídia;
Interseccionalidade;
Zika Vírus;
Políticas Públicas
Media;
Intersectionality;
Zika virus;
Public Policy
Área(s) do CNPq: Política Pública e População.
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal do Maranhão
Sigla da instituição: UFMA
Departamento: DEPARTAMENTO DE SERVIÇO SOCIAL/CCSO
Programa: PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM POLÍTICAS PÚBLICAS/CCSO
Citação: BRAGA, Ivana Márcia Moraes. Desigualdade, Interseccionalidade e políticas públicas: um estudo das narrativas da mídia sobre a epidemia de Zika vírus de maio de 2015 a maio de 2017.. 2019. 195 folhas. Dissertação( Programa de Pós-Graduação em Políticas Públicas/CCSO) - Universidade Federal do Maranhão, São Luís.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: https://tedebc.ufma.br/jspui/handle/tede/tede/2794
Data de defesa: 13-Jun-2019
Appears in Collections:DISSERTAÇÃO DE MESTRADO - PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM POLÍTICAS PÚBLICAS

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Ivana Marcia M.B..pdfDissertação de Mestrado.1,95 MBAdobe PDFDownload/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.