???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tedebc.ufma.br/jspui/handle/tede/tede/2327
Tipo do documento: Dissertação
Título: Violência no Brasil: os perfis ocultos de encarcerados e vítimas de mortes violentas
Título(s) alternativo(s): Violence in Brazil: the hidden profiles of prisoners and victims of violent deaths
Autor: LIEBL, Caroline 
Primeiro orientador: GONÇALVES, Cláudia Maria da Costa
Primeiro membro da banca: SOUSA, Salviana de Maria Pastor Santos
Segundo membro da banca: CHAI, Cássius Guimarães
Resumo: O Brasil figura entre as quatro maiores populações carcerárias mundiais, e em seu território são mortas violentamente mais pessoas que em locais com guerras civis declaradas. Nesse contexto, a partir da temática das violências, compreendidas em suas múltiplas formas de manifestações, os perfis dos encarcerados e das vítimas de mortes violentas no Brasil se mostram um relevante objeto de estudo. As variáveis eleitas para análise de tais perfis são faixa etária, raça, gênero e grau de escolaridade, e o recorte temporal compreende os anos de 2002 a 2016. A principal fonte de dados quanto às características das vítimas de mortes violentas é o Subsistema de Informação sobre Mortalidade, e quanto aos encarcerados são os Relatórios do InfoPen e os Mapas da Violência, realizando-se estudo comparativo quanto aos dados coletados, além de pesquisas bibliográficas e documentais. Adotando-se a metodologia reflexiva de Pierre Bourdieu, objetiva-se analisar os referidos perfis e comprovar se há equivalência entre eles, discutir as razões das vulnerabilidades conforme as variáveis, demonstrar se há seletividade velada, e discutir as variadas formas de violências que perpassam o objeto de estudo, bem como a parcela de violência legitimada ao Estado no contexto punitivo. Dos resultados obtidos, observa-se que o perfil majoritário tanto de encarcerados quanto de vítimas de mortes violentas é equivalente e composto por homens, negros, jovens e de baixa escolaridade, refletindo a socialização performativa masculina com expectativas de habitus violentos, a herança da escravidão e o racismo no Brasil, a dificuldade em atingir alto grau de escolaridade em uma coletividade dividida por estratos de grande diferenciação e distanciamento entre si, e os obstáculos a que jovens estão submetidos pela insuficiência de capitais próprios para melhor se posicionarem nos campos e estruturá-los efetivamente. Constata-se que tais grupos são mais vulneráveis às violências físicas, estruturais e simbólicas, sendo atingidos pela seletividade do sistema penal, o que leva à conclusão de uma crise de legitimidade do exercício do poder punitivo.
Abstract: Brazil is among the four largest prison populations in the world, and more violent deaths occur in its territory than in places with declared civil wars. In this context, based on the theme of violence, understood in its multiple forms of manifestations, the profiles of prisoners and victims of violent deaths in Brazil are a relevant object of study. The variables chosen for analysis of such profiles are age, race, gender and education level, and the temporal cut covers the years 2002 to 2016. The main data source of characteristics of violent deaths victims is the Mortality Information Subsystem, and the prisoners data source are InfoPen Reports and Maps of Violence, and it is done a comparative study between the collected data, in addition to bibliographic and documentary research. Adopting Pierre Bourdieu's reflexive methodology, it is objectified to analyze these profiles and to verify if there is equivalence between them, to discuss vulnerabilities reasons according to the variables, to demonstrate if there is a covert selectivity, and to discuss the various forms of violence that permeate the study object, as well as the portion of violence legitimized to the State in the punitive context. From the obtained results, it is observed that the majority profile of both prisoners and victims of violent deaths is equivalent and consists of men, black people, young people, with low schooling, reflecting the male performative socialization with expectations of violent habitus, the inheritance of slavery and racism in Brazil, the difficulty of achieving a high level of schooling in a community divided by great differentiation strata and distance between them, and the obstacles to which young people are submitted due to the insufficiency of own capitals to obtain better positions in the fields and effectively structure them. As observed, these groups are more vulnerable to physical, structural and symbolic violence and are affected by the penal system selectivity, which leads to conclude for a legitimacy crisis of punitive power exercise.
Palavras-chave: Violências
Mortes violentas
Encarceramento
Vulnerabilidades
Metodologia bourdieusiana
Violence
Violent deaths
Incarceration
Vulnerabilities
Área(s) do CNPq: Sociologia Jurídica
Políticas Públicas
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal do Maranhão
Sigla da instituição: UFMA
Departamento: DEPARTAMENTO DE SERVIÇO SOCIAL/CCSO
Programa: PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM POLÍTICAS PÚBLICAS/CCSO
Citação: LIEBL, Caroline. Violência no Brasil: os perfis ocultos de encarcerados e vítimas de mortes violentas. 2018. 181 f. Dissertação (Mestrado em Políticas Públicas) - Universidade Federal do Maranhão, São Luís, 2018.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: https://tedebc.ufma.br/jspui/handle/tede/tede/2327
Data de defesa: 8-Mar-2018
Appears in Collections:DISSERTAÇÃO DE MESTRADO - PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM POLÍTICAS PÚBLICAS

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
CarolineLiebl.pdfDissertação2,6 MBAdobe PDFDownload/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.