???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tedebc.ufma.br/jspui/handle/tede/tede/780
Tipo do documento: Tese
Título: RELAÇOES DE TRABALHO E RESISTENCIA CAMPONESA NO DESENVOLVIMENTO DEPENDENTE NO MARANHAO: o assentamento Califórnia como uma expressão
Título(s) alternativo(s): WORK RELATIONS AND PEASANTRY RESISTANCE IN THE DEPENDENT DEVELOPMENT IN MARANHAO: the settlement California as an expression
Autor: AZAR, Zaira Sabry 
Primeiro orientador: ABREU, Marina Maciel
Primeiro membro da banca: LOPES, Josefa Batista
Segundo membro da banca: SILVA, José de Ribamar Sá
Terceiro membro da banca: SILVA, Ilse Gomes
Resumo: A presente pesquisa analisa as relações de trabalho e resistência camponesa demarcadas no desenvolvimento dependente no estado do Maranhão nas transformações contemporâneas, particularizadas na realidade do assentamento Califórnia, Açailândia, organizado este assentamento pelo Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra MST, no processo de luta pela terra nesta unidade federativa. Considera que as relações de trabalho sofrem determinação histórica e têm como base as contradições inerentes ao modo de produção capitalista, como a necessária reprodução de formas não capitalistas de produção, a exemplo do campesinato. Neste sentido, as famílias do assentamento vivenciam as contradições políticas e ideológicas que caracterizam a política de reforma agrária brasileira, assim como se insere na dinâmica socioeconômica do município, expressão da reestruturação do trabalho exigida pela atual crise do capital, sendo que as novas formas de organização produtiva utilizam mecanismos e estratégias destrutivas, representadas, principalmente, por atividades minerosiderúrgicas e pelo agronegócio, que se sustentam com a intensificação da precarização do trabalho. O papel que o estado tem assumido na nova divisão internacional do trabalho tem forte incidência sobre a questão agrária, que sofre alterações importantes com a reconfiguração dos sujeitos sociais do campo, assim como das relações de trabalho e da resistência. A pesquisa mostra que apesar destas reconfigurações as famílias camponesas têm criado estratégias e mecanismos de luta e resistência que vão para além da luta pela terra, com articulações políticas internas e externas, organização da produção e formação técnica e política, com o objetivo de garantir sua reprodução social. Desta forma, recorre às categorias teóricas de desenvolvimento, questão agrária, campesinato, agronegócio, relações de trabalho e resistência camponesa.
Abstract: The present research analyses the relations of peasants work and resistence marked by the dependant development in the Sate of Maranhão in the contemporary transformations, particularized in the reality of the settlement California, Acailandia, a settlement organized by the Movement of the Landless MST- in the process of the struggle for land in this Federal Unit. Considering that the work relations suffer historic determinations with a root in the inherent contradictions of the capitalist production manner, brought forth the necessary reproduction of non-capitalistic forms, such as the example of the Peasantry. In this manner, the families in the settlement experienced the political and ideological contradictions that characterize the Brazilian Agrarian Reform policy, as well as inserting themselves into the socio-economic dynamic of the Municipality as expression of the restructuring of work demanded by the present capital crisis given that the new forms of productive organization utilizes destructive mechanisms and strategies-represented by principally by the Mining Industry s activities and by the agribusiness which sustains itself through the intensification of precarious work. The role of the State assumed in the New International Labor Division has a strong link with the Agrarian Question that suffers important alterations with a reconfiguration of the social country folk as well as the work relations and resistance. The research shows that in spite of these reconfigurations the peasant families have created struggle strategies, mechanisms and resistance that go beyond the land struggle with political articulations, both internal and external, production organization along with technical and political formation with the object of being guaranteed their social reproduction. In this way they turn to the categories of development, the agrarian question, the countryside, the agribusiness, work relations and peasant resistance.
Palavras-chave: Desenvolvimento
Questão agrária
Campesinato
Agronegócio
Relações de trabalho
Resistência camponesa
Development
Agrarian Question
Peasantry
Agribusiness
Work Relations
Peasantry Resistance
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::CIENCIA POLITICA::POLITICAS PUBLICAS
Idioma: por
País: BR
Instituição: Universidade Federal do Maranhão
Sigla da instituição: UFMA
Departamento: Políticas Públicas
Programa: PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM POLÍTICAS PÚBLICAS/CCSO
Citação: AZAR, Zaira Sabry. WORK RELATIONS AND PEASANTRY RESISTANCE IN THE DEPENDENT DEVELOPMENT IN MARANHAO: the settlement California as an expression. 2013. 326 f. Tese (Doutorado em Políticas Públicas) - Universidade Federal do Maranhão, São Luís, 2013.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://tedebc.ufma.br:8080/jspui/handle/tede/780
Data de defesa: 2-Apr-2013
Appears in Collections:TESE DE DOUTORADO - PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM POLÍTICAS PÚBLICAS

Files in This Item:
File SizeFormat 
Tese Zaira.pdf3,2 MBAdobe PDFDownload/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.