???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tedebc.ufma.br/jspui/handle/tede/tede/3713
Tipo do documento: Tese
Título: ANÁLISE ESPACIAL DO ABANDONO DO TRATAMENTO DA TUBERCULOSE E DA DUPLA CARGA TUBERCULOSE-DIABETES.
Título(s) alternativo(s): Spatial analysis of abandonment of tuberculosis treatment and double burden of tuberculosis-diabetes.
Autor: SOEIRO, Vanessa Moreira da Silva 
Primeiro orientador: CALDAS, Arlene de Jesus Mendes
Primeiro membro da banca: CALDAS, Arlene de Jesus Mendes
Segundo membro da banca: GALVÃO, Marli Teresinha Gimeniz
Terceiro membro da banca: VASCONCELOS, Vitor Vieira
Quarto membro da banca: SANTOS, Alcione Miranda dos
Quinto membro da banca: BRANCO, Maria dos Remédios Freitas Carvalho
Resumo: O abandono do tratamento da tuberculose (TB) e a comorbidade tuberculose-diabetes mellitus (TB-DM) integram o conjunto de desafios para o controle da TB enquanto problema de saúde pública. Objetivou-se analisar a distribuição espaço-temporal do abandono do tratamento da tuberculose e da dupla carga tuberculose-diabetes no Brasil. Realizou-se um estudo ecológico sobre o abandono do tratamento dos casos novos de TB e dos casos de comorbidade tuberculose-diabetes no Brasil, no período de 2012 a 2018, notificados no Sistema de Informação de Agravos de Notificação – Sinan, tendo como unidades de análise os municípios. A população de estudo foi constituída por todos os casos novos de TB, de todas as formas clínicas, cujo desfecho tenha sido o abandono do tratamento da TB e, ainda, por todos os casos de tuberculose, em todas as formas clínicas, com a comorbidade Diabetes Mellitus. Para a análise de tendência, utilizou-se o modelo de Prais-Winsten e para a análise espacial os índices Global e Local de Moran. Verificou-se que a média da proporção de abandono do tratamento da TB no país foi de 10,44% (DP:±1,36) com tendência considerada estável. As maiores médias foram observadas no Sudeste (10,80±1,50), Sul (10,67±3,17) e Centro-Oeste (10,12±0,86). Os estados com maiores índices foram Rondônia (13,94±1,65), Rio Grande do Sul (13,73±4,56) e Rio de Janeiro (12,36±1,68). Houve estabilidade na proporção do abandono do tratamento da TB no País, e as regiões Norte e Sul apresentaram tendência decrescente, com taxas de variação de -5,45% e -16,62%, respectivamente. Houve distribuição heterogênea e não aleatória, com existência de áreas de alto risco concentradas, sobretudo, na região Sudeste. Quanto à prevalência da comorbidade TB-DM, no período em estudo este indicador foi de 7,02%. Na distribuição anual e do período, os municípios com prevalências acima de 6% concentram-se nas regiões Sudeste, Nordeste e Sul. A proporção da comorbidade TB-DM distribuiu-se de maneira heterogênea nos municípios brasileiros e não ocorreu de forma aleatória, existindo autocorrelação espacial positiva estatisticamente significativa na análise do agregado do período (Moran I= 0,193; p<0,0001). Constatou-se a autocorrelação espacial por meio dos Índices de Moran, sendo a prevalência nas áreas de alto risco igual a 28,04% e a nas de baixo risco igual a 5,86%. Compuseram o cluster de alto risco municípios pertencentes, sobretudo, às regiões Nordeste, Sudeste e Sul. No modelo de regressão multivariado clássico, a cobertura da Atenção Básica, percentual da população que vive em domicílios com densidade superior a duas pessoas por dormitório, percentual de desemprego de pessoas maiores de 18 anos, PIB per capita e renda per capita se ajustaram melhor. Foi observada associação negativa entre a variável dependente e as variáveis ‗cobertura da Atenção Básica‘ e ‗PIB per capita‘, o que expressa em termos numéricos que, a cada incremento destes marcadores, há decréscimo no log do número de casos de TB-DM. As demais variáveis associaram-se positivamente ao desfecho. Essas variáveis foram inseridas nos modelos Spatial Lag e Spatial Error e os resultados comparados, sendo que o último apresentou os melhores parâmetros: R2 =0,421, Log da Verossimilhança=-4661,03, AIC=9334,07 e SBC=9371,00. Os resíduos do Spatial Error apresentaram distribuição normal e o índice global de Moran foi de -0,022 (p<0,001), indicando que a inclusão do componente espacial eliminou a autocorrelação espacial dos resíduos (valor mais próximo de zero), sobretudo quando comparado aos resíduos da regressão clássica (OLS). Os achados deste trabalho sugerem que tanto o abandono do tratamento, quanto a dupla carga TB-DM sofrem influência do espaço para a sua ocorrência e que fatores socioeconômicos e de saúde explicaram a ocorrência da comorbidade TB-DM no Brasil. O estudo da análise espacial do abandono do tratamento da TB e da comorbidade TB-DM permitiu evidenciar a heterogeneidade e o padrão de distribuição geográfica desses dois desafios ao controle da tuberculose enquanto problema de saúde pública no Brasil. Os resultados apresentados reforçam a necessidade de reconhecimento do abandono do tratamento da TB e da comorbidade TB-DM como barreiras ao combate da doença no Brasil. Esse reconhecimento é indispensável à construção e execução de políticas públicas. Espera-se que os resultados deste estudo possam contribuir para a melhoria das ações de saúde, fornecendo elementos para a elaboração de estratégias com vistas à redução dos casos de abandono do tratamento e para o enfrentamento da sinergia da tuberculose e do DM, por meio do direcionamento de intervenções em áreas de maior risco, apoiando, desse modo, as ações de gestão em saúde pública.
Abstract: The abandonment of tuberculosis (TB) treatment and the tuberculosis-diabetes mellitus comorbidity (TB-DM) are part of the set of challenges to TB control as a public health problem. We aimed to analyze the spatio-temporal distribution of TB treatment abandonment and the tuberculosis-diabetes double burden in Brazil. An ecological study was conducted on the abandonment of treatment of new cases of TB and cases of tuberculosis-diabetes comorbidity in Brazil, in the period from 2012 to 2018, notified in the Sistema de Informação de Agravos de Notificação - Sinan, with municipalities as units of analysis. The study population consisted of all new cases of TB, of all clinical forms, whose outcome was the abandonment of TB treatment, and also all cases of tuberculosis, in all clinical forms, with the comorbidity Diabetes Mellitus. The Prais-Winsten model was used for the trend analysis and the Moran's Global and Local indices for the spatial analysis. It was found that the mean proportion of TB treatment abandonment in the country was 10.44% (SD:±1.36) with a trend considered stable. The highest averages were observed in the Southeast (10.80±1.50), South (10.67±3.17), and Midwest (10.12±0.86). The states with the highest rates were Rondônia (13.94±1.65), Rio Grande do Sul (13.73±4.56), and Rio de Janeiro (12.36±1.68). There was stability in the proportion of TB treatment abandonment in the country, and the North and South regions showed a decreasing trend, with variation rates of -5.45% and -16.62%, respectively. There was heterogeneous and non-random distribution, with the existence of high-risk areas concentrated, above all, in the Southeast region. As for the prevalence of TB DM comorbidity, in the period under study this indicator was 7.02%. In the annual and period distribution, the municipalities with prevalences above 6% are concentrated in the Southeast, Northeast, and South regions. The proportion of comorbidity TB-DM was heterogeneously distributed in Brazilian municipalities and did not occur randomly, with statistically significant positive spatial autocorrelation in the analysis of the period aggregate (Moran I= 0.193; p<0.0001). Spatial autocorrelation was verified by means of the Moran indices, with prevalence in high-risk areas equal to 28.04% and in low-risk areas equal to 5.86%. The high risk cluster was composed of municipalities belonging mainly to the Northeast, Southeast, and South regions. In the classic multivariate regression model, the coverage of Primary Care, percentage of the population living in households with a density greater than two people per room, percentage of unemployment of people over 18 years of age, per capita GDP, and per capita income fitted better. A negative association was observed between the dependent variable and the variables 'Primary Care coverage' and 'GDP per capita', which expresses in numerical terms that, for each increase in these markers, there is a decrease in the log of the number of MD-TB cases. The other variables were positively associated with the outcome. These variables were entered into the Spatial Lag and Spatial Error models and the results compared, with the latter showing the best parameters: R2=0.421, Log of the Likelihood=- 4661.03, AIC=9334.07 and SBC=9371.00. The Spatial Error residuals showed normal distribution and the overall Moran's index was -0.022 (p<0.001), indicating that the inclusion of the spatial component eliminated spatial autocorrelation from the residuals (value closer to zero), especially when compared to the residuals from the classical regression (OLS). The findings of this paper suggest that both treatment abandonment and TB-DM double burden are influenced by space for their occurrence and that socioeconomic and health factors explained the occurrence of TB-DM comorbidity in Brazil. The study of the spatial analysis of TB treatment abandonment and TB-DM comorbidity allowed us to highlight the heterogeneity and the pattern of geographical distribution of these two challenges to TB control as a public health problem in Brazil. The results presented here reinforce the need to recognize the abandonment of TB treatment and the TB-DM comorbidity as barriers to combating the disease in Brazil. This recognition is indispensable to the construction and implementation of public policies. It is hoped that the results of this study can contribute to the improvement of health actions, providing elements for the development of strategies aimed at reducing cases of treatment abandonment and for confronting the synergy of TB and DM, through the targeting of interventions in areas of greater risk, thus supporting the actions of public health management.
Palavras-chave: Tuberculose;
Estudos de séries temporais;
Análise espacial;
Comorbidade;
Diabetes;
Regressão Espacial
Tuberculosis;
Time series studies;
Spatial analysis;
Comorbidity;
Diabetes;
Spatial regression
Área(s) do CNPq: Saúde Pública
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal do Maranhão
Sigla da instituição: UFMA
Departamento: DEPARTAMENTO DE ENFERMAGEM/CCBS
Programa: PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SAÚDE COLETIVA/CCBS
Citação: SOEIRO, Vanessa Moreira da Silva. Spatial analysis of abandonment of tuberculosis treatment and double burden of tuberculosis-diabetes. 2021. 132 f. Tese( Programa de Pós-graduação em Saúde Coletiva,./CCBS) - Universidade Federal do Maranhão, São Luís, 2021.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: https://tedebc.ufma.br/jspui/handle/tede/tede/3713
Data de defesa: 23-Mar-2021
Appears in Collections:TESE DE DOUTORADO - PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SAÚDE COLETIVA

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
VANESSA MOREIRA DA SILVA SOEIRO.pdfTese de Doutorado2,87 MBAdobe PDFDownload/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.