???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tedebc.ufma.br/jspui/handle/tede/tede/2922
Tipo do documento: Dissertação
Título: Correlação entre termografia infravermelha e marcadores de dano muscular após protocolo de salto em ambiente controlado
Título(s) alternativo(s): Correlation between infrared thermography and muscle damage markers after controlled environment jump protocol
Autor: SANTANA , Paulo Vitor Albuquerque 
Primeiro orientador: VENEROSO, Christiano Eduardo
Primeiro coorientador: CABIDO, Christian Emmanuel Torres
Primeiro membro da banca: VENEROSO, Christiano Eduardo
Segundo membro da banca: PIMENTA, Eduardo Mendonça
Terceiro membro da banca: DIBAI FILHO, Almir Vieira
Quarto membro da banca: SEVILIO JUNIOR, Mario Norberto
Quinto membro da banca: URTADO, Christiano Bertoldo
Resumo: Objetivo: o objetivo deste estudo é correlacionar a termografia infravermelha com marcadores de dano muscular, após protocolo de saltos pliométricos realizado em ambiente controlado. Materiais e Métodos: A amostra foi composta por participantes do sexo masculino, fisicamente ativos com faixa etária compreendendo dos 18 aos 30 anos. Os sujeitos foram divididos em dois grupos, um controle e outro experimental. Ao chegar no laboratório o indivíduo realizava as seguintes coletas: amostra de sangue capilar, escala subjetiva de dor, avaliação termográfica e teste de salto. Em seguida realizava o protocolo de salto pliométrico. Nos momentos referentes à recuperação ao exercício proposto, 24 horas, 48 horas e 72 horas após foram realizadas novamente os procedimentos supracitados. Resultados: Os resultados mostraram aumento na concentração de creatina quinase (p<0,05) e na intensidade de dor muscular de inicio tardio (p<0,05) 24 horas após o protocolo de saltos pliométricos, sem alteração na temperatura irradida da pele da coxa. Proteina c-reativa e mioglobina não apresentaram aumento em suas concentrações assim como não houve diferença no desempenho de saltos agachado e com contramovimento. Discussão: Os valores de termografia não apresentaram correlação com os marcadores de dano muscular, porém, os resultados indicam que uma sessão de saltos pliométricos, induz alteração na concentração de creatina quinase e intensidade de dor muscular de inicio tardio, sem deterioração no desempenho no decorrer dos dias. Algumas variáveis relacionadas a esses estudos podem explicar em parte os resultados divergentes como, diferentes tipos de protocolo aplicado, nível de treinamento dos avaliados, e diferentes métodos de seleção da região de interesse, logo a combinação desses multifatores podem contribuir na divergência dos resultados demonstrados. Conclusão: Desta forma pode-se concluir que uma sessão de saltos pliométricos altera alguns marcadores de dano muscular, mas não altera a temperatura das coxas gerando a não correlação com os marcadores de dano muscular.
Abstract: Objective: The objective of this study is to correlate infrared thermography with muscle damage markers after a plyometric jumping protocol performed in a controlled environment. Materials and Methods: The sample consisted of physically active male participants with ages ranging from 18 to 30 years. The subjects were divided into two groups, one control and the other experimental group. Upon arriving in the laboratory, the individual performed the following collections: capillary blood sample, subjective pain scales, thermographic evaluation and jump test. Then he performed the plyometric jump protocol. At the moments related to recovery to the proposed exercise, 24 hours, 48 hours and 72 hours after the above procedures were performed again. Results: The results showed an increase in creatine kinase concentration (p <0.05) and delayed onset muscle pain (p <0.05) 24 hours after the plyometric jumping protocol, with no change in the irradiated temperature of the thigh skin. C-reactive protein and myoglobin showed no increase in their concentrations as there was no difference in the performance of crouching and countermovement jumps. Discussion: Thermography values did not correlate with muscle damage markers; however, the results indicate that a plyometric jumping session induces a change in creatine kinase concentration and delayed onset muscle pain, with no deterioration in performance over the course of days. Some variables related to these studies may explain in part the divergent results, such as different types of protocol applied, level of training of the evaluated, and different methods of selection of the region of interest, so the combination of these multifactors may contribute to the divergence of the results demonstrated. Conclusion: In this way it can be concluded that a plyometric jump session changes some markers of muscle damage, but does not alter the temperature of the thighs, generating a non-correlation with the markers of muscle damage.
Palavras-chave: Saltos pliométricos
Termografia infravermelha
Dano muscular
Plyometric jumps
Infrared thermography
Muscle damage
Área(s) do CNPq: Ciências da Saúde
Educação Física
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal do Maranhão
Sigla da instituição: UFMA
Departamento: DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO FÍSICA/CCBS
Programa: PROGRAMA DE PÓS-GRADUACAO EM EDUCAÇÃO FÍSICA
Citação: SANTANA, Paulo Vitor Albuquerque. Correlação entre termografia infravermelha e marcadores de dano muscular após protocolo de salto em ambiente controlado. 2018. 78 f. Dissertação (Programa de Pós-Graduação em Educação Física) - Universidade Federal do Maranhão, São Luís, 2019.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: https://tedebc.ufma.br/jspui/handle/tede/tede/2922
Data de defesa: 11-Jul-2018
Appears in Collections:DISSERTAÇÃO DE MESTRADO - PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO FÍSICA

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
PAULO-SANTANA.pdfDissertação de Mestrado1,32 MBAdobe PDFDownload/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.