???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tedebc.ufma.br/jspui/handle/tede/tede/2843
Tipo do documento: Dissertação
Título: Estudo do pré-natal de risco habitual como estratégia para redução da mortalidade materna
Título(s) alternativo(s): Prenatal study of usual risk as a strategy to reduce maternal mortality
Autor: BOUÉRES, Maria de Fátima Portela Silva 
Primeiro orientador: COUTINHO, Nair Portela Silva
Primeiro membro da banca: COUTINHO, Nair Portela Silva
Segundo membro da banca: LEITE, José Márcio Soares
Terceiro membro da banca: BRITO, Luciane Maria Oliveira
Quarto membro da banca: SARDINHA, Ana Hélia de Lima
Quinto membro da banca: BARBOSA, Maria do Carmo Lacerda
Resumo: O pré-natal de risco habitual caracteriza-se pela assistência prestada pela equipe de saúde da família ao pré-natal de gestantes sem fatores de risco para agravos à saúde materno-perinatal ou que apresente fatores de risco que possam ser conduzidos na atenção primária. Esta pesquisa teve por objetivo estudar o pré-natal de risco habitual como estratégia para redução da mortalidade materna. Trata-se de um estudo descritivo com abordagem quantitativa, realizado com profissionais de nível superior que atuam na Atenção Primária em Saúde (APS) envolvidos na assistência ao pré-natal de duas unidades básicas de saúde. Foi aplicado um questionário modificado da Universidade Federal de Pelotas, Rio Grande do Sul, devidamente autorizado, contendo perguntas abertas e fechadas relativas à caracterização dos participantes e sobre o pré-natal de risco habitual. Os dados foram coletados nos meses de abril e maio de 2019 e analisados por meio dos programas Epi-Info e Excel. Os resultados evidenciaram que 72,7% dos profissionais são do sexo feminino e 27,3% do masculino, sendo 45,45% médicos, 45,45% enfermeiros e 9,2% cirurgiões-dentistas. O tempo de atuação na APS variou de 9,2% com até 5 anos de atividade para 63,5% acima de 10 anos de atuação. Quanto à principal causa de mortalidade materna, 54,5% referiram ser o pré-natal inadequado,18,2% afirmaram que seria falta de assistência ao parto e 9,1% afirmaram que seria falta de protocolo, hipertensão e hemorragia. Sobre a realização de oficinas temáticas, rodas de conversa e a inclusão de parcerias e familiares nessas ações, 72,7% dos profissionais disseram que realizam e, 27,3% afirmaram que não realizam essas atividades. No que diz respeito se a gestante sai da UBS com a próxima consulta programada, 81,8% disseram que sim e 18,2%, que não. O estudo sinaliza a necessidade de melhorias na assistência ao pré-natal de risco habitual, qualificando a equipe de saúde e implementando ações direcionadas às gestantes e parcerias por meio da educação, promoção e prevenção em saúde.
Abstract: The usual risk prenatal care is characterized by the care provided by the family health team to the prenatal care of pregnant women without risk factors for maternal-perinatal health problems or presenting risk factors that can be conducted in Primary Care. The objective of this study was to study prenatal risk as a strategy to reduce maternal mortality. This is a descriptive study with a quantitative approach, carried out with senior professionals working in the Primary Health Care (PHC) involved in the prenatal care of two basic health units. An authorized modified questionnaire from the Federal University of Pelotas, Rio Grande do Sul, containing open and closed questions regarding the characterization of participants and prenatal habitual risk was applied. The data were collected in the months of April and May 2019 and analyzed through the Epi-Info and Excel programs. The results showed that 72.7% of the professionals are female and 27.3% are male, 45.45% are doctors, 45.45% are nurses and 9.2% are dental surgeons. The time of performance in the Primary Health Care (PHC) ranged from 9.2% with up to 5 years of activity to 63.5% over 10 years of operation. As to the main cause of maternal mortality, 54,5% reported inadequate prenatal care, 9,1% reported lack of protocol and 18,2% delivery care, and 9,1% reported that it was hypertension and bleeding. About 72.7% of the professionals said they did it, and 27.3% stated that they did not carry out these activities. Regarding whether the pregnant woman leaves UBS with the next scheduled appointment, 81.8% said yes and 18.2%, which they do not. The study indicates the need for improvements in prenatal care at usual risk, qualifying the health team and implementing actions directed at pregnant women and partnerships through education, promotion and prevention in health.
Palavras-chave: Pré-natal
Estratégia
Redução
Mortalidade
Prenatal care
Strategy
Reduction and mortality
Área(s) do CNPq: Saúde Materno-Infantil
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal do Maranhão
Sigla da instituição: UFMA
Departamento: DEPARTAMENTO DE ENFERMAGEM/CCBS
Programa: PROG POS GRAD PROF EM SAUDE DA FAMILIA
Citação: BOUÉRES, Maria de Fátima Portela Silva. Estudo do pré-natal de risco habitual como estratégia para redução da mortalidade materna. 2019.53 f. Dissertação (Programa de Pós-Graduação Profissional em Saúde da Família) - Universidade Federal do Maranhão, São´Luís.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: https://tedebc.ufma.br/jspui/handle/tede/tede/2843
Data de defesa: 15-Jul-2019
Appears in Collections:DISSERTAÇÃO DE MESTRADO - REDE NORDESTE DE FORMAÇÃO EM SAÚDE DA FAMÍLIA

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
MariadeFátimaBueres.pdfDissertação de Mestrado293,08 kBAdobe PDFDownload/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.