???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tedebc.ufma.br/jspui/handle/tede/tede/2642
Tipo do documento: Dissertação
Título: Avaliação de linhagens do papilomavírus humano (hpv) 16 no câncer de colo do utero e seu impacto na resposta ao tratamento com radioterapia e quimioterapia
Título(s) alternativo(s): Evaluation of human papillomavirus (HPV) 16 strains in uterine cervix cancer and its impact on response to treatment with radiotherapy and chemotherapy
Autor: FIGUEIREDO , Fábio Vidal de 
Primeiro orientador: NASCIMENTO, Maria do Desterro Soares Brandão
Primeiro coorientador: BATISTA, Zulmira da Silva
Primeiro membro da banca: NASCIMENTO, Maria do Desterro Soares Brandão
Segundo membro da banca: BATISTA, Zulmira da Silva
Terceiro membro da banca: BEZERRA, Geusa Felipa de Barros
Quarto membro da banca: SILVA, Ana Lúcia Abreu
Quinto membro da banca: SILVA, Gyl Eanes Barros
Resumo: O câncer de colo do útero ocupa a quarta posição em incidência e mortalidade entre as mulheres com 569.847 novos casos (6,6%) e 311.365 óbitos (7,5%). Sua incidência está relacionada ao índice de Desenvolvimento Humano (IDH), embora sua frequência esteja diminuindo nos países desenvolvidos, observamos um aumento de novos casos em regiões menos desenvolvidas, onde ocorrem 80% dos casos. A infecção pelo papiloma vírus humano (HPV) de alto risco é a principal causa do câncer cervical. O HPV 16 é responsável por metade dos casos de câncer de colo do útero. Vários estudos sugeriram que a variabilidade genética entre as variantes do HPV 16 poderia influenciar o potencial de infecção, a persistência viral e o risco de desenvolvimento do câncer invasivo do colo do útero. Foi feita a hipótese que este polimorfismo filogenético dos nucleotídeos entre as linhagens e sublinhagens do HPV 16 poderia fornecer uma diferença na resposta ao tratamento do câncer cervical com radioterapia e quimioterapia. Este estudo teve como objetivo estimar a frequência de linhagens do HPV 16 em amostras de câncer de colo de útero, relacionar os fatores patológicos nessas variantes e avaliar ao tratamento com radioterapia e quimioterapia. A população do estudo consistiu de mulheres encaminhadas aos hospitais de referência para o tratamento de câncer em São Luís-MA, responderam questionários sociodemográficos e foram coletadas amostras de câncer de colo do útero para testar a presença do DNA dos tipos e variantes do vírus do papiloma humano. As mulheres com linhagem do HPV 16 tratadas com quimioterapia e radioterapia foram avaliadas após 3 meses para determinar a resposta ao tratamento. O protocolo padrão do serviço consistiu de quimioterapia à base de cisplatina na dose de 40mg/m² mais irradiação pélvica convencional na dose de 45-50,4 Gy e Braquiterapia de alta taxa de dose de 28-30 Gy prescritos no Ponto A. O DNA do HPV foi detectado em 104 (88,1%) das pacientes. A presença do HPV 16 foi positiva em 63 mulheres (53%). As linhagens do HPV 16 foram identificadas em 57 pacientes, sendo: 33 da linhagem A (57,8%), 2 da linhagem B (3,5%), 2 da linhagem C (3,5%) e 20 da linhagem D (35,0%). A média de idade dessas pacientes foi de 48,4 anos (faixa de 25 a 85 anos). O carcinoma de células escamosas foi detectado em 48 amostras (84,2%). O adenocarcinoma foi mais frequente na linhagem D, onde foram registradas 3 dos 4 casos de adenocarcinoma. Um total de 11 pacientes com a variante do HPV 16 foi tratada com radioterapia e quimioterapia. Após três meses, observou-se que 9 dos 11 pacientes (81,8%) obtiveram resposta completa: sendo cinco da linhagem A, dois da linhagem C e dois da linhagem D. Os casos de resposta parcial e progressão de doença, um cada, ocorreram na linhagem A. Não foi possível estabelecer uma associação entre linhagens do HPV 1 e resposta local à quimioterapia e radioterapia devido o pequeno número de pacientes e distribuição irregular de linhagens, embora os dois casos de persistência tumoral tenham ocorrido em pacientes portadores da linhagem A.
Abstract: Cervical cancer occupies the fourth position in incidence and mortality among women, with 569.847 new cases (6.6%) and 311.365 deaths (7.5%). Its incidence relates to Human Development Index (HDI), although its frequency is declining in developed countries, we observe a burden of new cases in regions less developed, where occurr 80% of cases. High-risk human papillomavirus (HPV) infection are the main cause of cervical câncer. The HPV 16 is responsible for half of the cases of cervical câncer. Several studies suggested that this genetic variability between the HPV16 variants could influence the potential for infection, viral persistence and development of invasive cervical cancer. It was hypothesized that this phylogenetic single-nucleotide polymorphism among HPV 16 lineages and sublineages could provide difference in the response to cervical cancer treatment with radiotherapy and chemotherapy depending of the detected HPV variant. This study aimed to estimate the frequency of Human papilloma virus (HPV) 16 lineages in specimens of cervical cancer, relate the pathological factors in those variants and assess the response to treatment with radical chemoradiotherapy. The population consisted of women forwarde to reference cancer hospital in São Luis-MA, answered sociodemographic data and samples of cervical cancer were collected hospital to test the presence of Human papilloma virus types DNA and variants. The women with HPV -16 lineage treated with chemoradiotherapy, were avaliated after three months to access response to treatment. The standard protocol of the service consisted of cisplatin based chemotherapy 40 mg/m² plus conventional pelvic irradiation in the dosis of 45-50.4 Gy and high dose rate brachytherapy of 28-30 Gy to Point A. HPV DNA was detected in out 104 (88.1%) of the 118 patients. HPV-16 present in 63 patients (53%). Lineages of HPV 16 identified in 57 patients being: 33 (57.8%) lineage A, 2 lineage B (3.5%), 2 lineage C (3.5%) and 20 (35.0%) lineage D. The median age of the patients was 48.4 years (range 25-85 years). Squamous cell carcinoma was detected 48 times (84.2%). Adenocarcinoma were more likely to occur in lineage D, as three of the four cases occurred in this lineage. A total of 11 patientes with HPV-16 variant were treated with chemoradiotherapy. After three months, was observed that nine of the eleven patients (81.8%) achieved complete response: five of the lineage A, two of the lineage C and two of the lineage D. The cases of partial response and progression of disease, one each, occurred in the lineage A. We could not establish a association between HPV-16 lineages and local response to chemoradiotherapy due to small number of patients and irregular distribution of lineages, although the two cases of tumor persistence occurred in patients with lineage D.
Palavras-chave: Câncer de colo do útero
Papilomavírus humano
HPV-16
Radioterapia
Recorrência
Cervical cancer
Human papillomavirus
HPV-16
Radiotherapy
Recurrence
Área(s) do CNPq: Clínica Médica
Cancerologia
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal do Maranhão
Sigla da instituição: UFMA
Departamento: DEPARTAMENTO DE PATOLOGIA/CCBS
Programa: PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SAÚDE DO ADULTO E DA CRIANÇA/CCBS
Citação: FIGUEIREDO, Fábio Vidal de. Avaliação de linhagens do papilomavírus humano (hpv) 16 no câncer de colo do útero e seu impacto na resposta ao tratamento com radioterapia e quimioterapia. 2019. 157 f. Dissertação (Programa de Pós-Graduação em Saúde do Adulto /CCBS) - Universidade Federal do Maranhão, São Luís.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: https://tedebc.ufma.br/jspui/handle/tede/tede/2642
Data de defesa: 15-Jan-2019
Appears in Collections:DISSERTAÇÃO DE MESTRADO - PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SAÚDE DO ADULTO

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
FABIO-FIGUEIREDO.pdfDissertação de Mestrado8,81 MBAdobe PDFDownload/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.