???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tedebc.ufma.br/jspui/handle/tede/tede/2532
Tipo do documento: Dissertação
Título: Uso de corticóide antenatal em maternidades públicas brasileiras: prevalência e fatores associados
Título(s) alternativo(s): Use of antenatal corticosteroids in maternity hospitals Brazilian public: prevalence and associated factors
Autor: ARAÚJO, Hanna-Arony Wanderley Pereira de 
Primeiro orientador: LAMY FILHO, Fernando
Primeiro membro da banca: LAMY FILHO, Fernando
Segundo membro da banca: COELHO, Tarcísio Mota
Terceiro membro da banca: CHEIN, Maria Bethânia da Costa
Quarto membro da banca: RIBEIRO, Valdinar Sousa
Resumo: Introdução: A administração de corticóides para a gestante pode prevenir e modificar a evolução da Síndrome do Desconforto Respiratório, aperfeiçoar os efeitos da terapêutica com surfactante após o nascimento e reduzir a incidência de hemorragia periintraventricular no recém-nascido. É segura em mulheres com ruptura prematura de membranas e gravidez relacionada com síndromes hipertensivas. Em virtude de tais benefícios, segundo o Ministério da Saúde do Brasil, os corticóides antenatais devem ser sempre empregados em todas as gestantes entre 24 e 34 semanas de gestação com risco de parto prematuro. Daí a importância de conhecer os fatores ligados ao não-uso da terapia, a fim de contribuir para redução da morbimortalidade neonatal. Objetivos: Verificar a frequência do uso antenatal de corticosteróide em gestantes com idade gestacional entre 24 e 34 semanas, em maternidades públicas brasileiras, e identificar fatores associados ao nãouso dessa tecnologia. Metodologia: Foi realizado estudo observacional transversal, tendo como fonte o banco de dados com coleta realizada no período de março de 2004 a março de 2005, que incluiu 16 maternidades públicas brasileiras, com 1109 observações. Incluíram-se no estudo recémnascidos com peso ao nascer entre 500 e 1.749 g. As variáveis categóricas foram descritas usando-se percentuais e a análise das diferenças entre as proporções foi realizada por meio do teste χ² - Mantel-Haenszel. Para avaliação dos fatores associados ao não uso do corticóide antenatal utilizou-se análise multivariável do tipo hierarquizada, classificando as variáveis em proximais, intermediárias e distais em relação ao desfecho. Resultados: da amostra de 1.109 gestantes com idade gestacional entre 24 e 34 semanas, 528 (47,6%) não usaram corticóide antenatal. Entre as unidades neonatais estudadas, a frequência de nãouso do corticóide antenatal que variou entre 83,6% e 14,5%. Entre as variáveis proximais, menor complexidade hospitalar e ausência de hipertensão na gravidez mostraram-se associadas com o não-uso de corticóide antenatal. Não realizar pré-natal foi a única variável intermediária analisada que apresentou significância estatística para o não-uso da tecnologia. Dentre as variáveis distais analisadas apenas a escolaridade baixa associou-se. Conclusões: O estudo revelou alta frequência do não-uso de corticóide antenatal para o período onde a tecnologia está indicada, ou seja, entre 24 e 34 semanas gestacionais, o que pode apontar para a baixa qualidade da assistência hospitalar para essa condição nas unidades avaliadas. A falha no uso da terapia associou-se tanto a variáveis proximais, como a intermediárias e distais, revelando a multiplicidade de fatores interligados ao desfecho.
Abstract: Introduction: The administration of corticosteroids to pregnant women can prevent and modify the course of respiratory distress syndrome, enhance the effects of surfactant therapy after birth and reduce the incidence of peri-intraventricular hemorrhage in the newborn. It is safe in women with premature rupture of membranes and pregnancy-related hypertensive disorders. Because of such benefits, according to the Ministry of Health of Brazil, antenatal corticosteroids should always be used in all pregnant women between 24 and 34 weeks gestation at risk for preterm delivery. Hence the importance of knowing the factors associated with failure to use the therapy in order to contribute to reducing neonatal mortality. Objectives: To determine the frequency of antenatal corticosteroid therapy in pregnant women with gestational age between 24 and 34 weeks in Brazilian public hospitals, and identify factors associated with non-use of this technology. Methods: We conducted a cross-sectional observational taking as the source database with collection performed from March 2004 to March 2005, which included 16 Brazilian public hospitals, with 1109 observations. Were included in the study infants with birth weights between 500 and 1,749 g. Categorical variables were described using percentages and analysis of differences between proportions was performed using the χ ² test - Mantel-Haenszel. To assess the factors associated with non-use of antenatal corticosteroids was used multivariate analysis of hierarchical type, classifying the variables into proximal, middle and distal in relation to the outcome. Results: the sample of 1,109 pregnant women with gestational age between 24 and 34 weeks, 528 (47.6%) did not use antenatal corticosteroids. Among the neonatal units studied, the incidence of non-use of antenatal corticosteroids ranging between 83.6% and 14.5%. Among the proximal variables, less complex hospital and absence of hypertension in pregnancy were associated with non-use of antenatal corticosteroids. Do not perform prenatal was the only intermediate variable analyzed that showed statistical significance for non-use of technology. Among the variables analyzed only the distal low education was associated with outcome. Conclusions: The study revealed a high frequency of non-use of antenatal corticosteroids for the period where technology is indicated, ie between 24 and 34 gestational weeks, which may point to the poor quality of hospital care for this condition units evaluated . The failure therapy use was associated with both the proximal variables such as intermediate and distal, revealing the multiplicity of interrelated factors to the outcome.
Palavras-chave: Corticóide antenatal
Prematuridade
Síndrome do desconforto respiratório do recém-nascido
Prevenção
Antenatal corticosteroids
Prematurity
Respiratory distress syndrome of the newborn
Prevention
Área(s) do CNPq: Saúde Materno-Infantil
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal do Maranhão
Sigla da instituição: UFMA
Departamento: DEPARTAMENTO DE MEDICINA III/CCBS
Programa: PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SAÚDE DO ADULTO E DA CRIANÇA/CCBS
Citação: ARAÚJO, Hanna-Arony Wanderley Pereira de. Uso de corticóide antenatal em maternidades públicas brasileiras: prevalência e fatores associados. 2013. 109 f. Dissertação (Programa de Pós-Graduação em Saúde do Adulto e da Criança/CCBS) - Universidade Federal do Maranhão, São Luís .
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: https://tedebc.ufma.br/jspui/handle/tede/tede/2532
Data de defesa: 5-Apr-2013
Appears in Collections:DISSERTAÇÃO DE MESTRADO - PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SAÚDE MATERNO-INFANTIL

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Hanna-AronyAraújo.pdfDissertação de Mestrado1,18 MBAdobe PDFDownload/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.