???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tedebc.ufma.br/jspui/handle/tede/tede/2237
Tipo do documento: Tese
Título: Avaliação do desenvolvimento de crianças no segundo ano de vida através do Bayley Screening Test III em uma cidade do nordeste brasileiro: Coorte Brisa
Título(s) alternativo(s): Evaluation of the development of children in the second year of life through the Bayley Screening Test III in a city in the Brazilian northeast - Brisa Cohort,
Autor: LOPES, Monique Kelly Duarte 
Primeiro orientador: SIMÕES, Vanda Maria
Primeiro membro da banca: SILVA, Mabile Francine Ferreira
Segundo membro da banca: RAFAEL, Eremita Val
Terceiro membro da banca: BATISTA, Rosângela Fernandes Lucena
Quarto membro da banca: SANTOS, Alcione Miranda dos
Resumo: Os primeiros anos de vida da criança tornam-se de grande importância para estabelecer a base de suas aquisições futuras. O diagnóstico precoce se torna cada vez mais importante, e um desafio para o profissional da saúde na avaliação e compreensão precisas do significado de qualquer atraso e dos limites da normalidade. Este trabalho teve como objetivo geral avaliar o desenvolvimento de crianças no segundo ano de vida em uma cidade do nordeste brasileiro. Para isto foram realizados dois artigos: no primeiro, descreveu-se a utilização do instrumento Bayley III Screening Test em crianças de duas coortes realizadas na cidade de São Luís referentes ao Estudo BRISA. Triou-se 2062 crianças por meio do instrumento Bayley-III, coorte do pré-natal e do nascimento, no período de janeiro de 2010 a junho de 2011. Estas foram submetidas a avaliação do desenvolvimento neuromotor através do instrumento BayleyIII, no período de abril de 2011 a março de 2013, no segundo ano de vida. Observou-se que a média de idade das crianças foi de 16 meses, com mínima de 8 meses e máxima de 24. Na amostra, 80,3% possuíam idade inferior ou igual a 18 meses e 15 dias. Dentre os domínios triados para a classificação de competente, emergente e risco, o da comunicação expressiva apresentou maior risco para o desenvolvimento (5,87%), assim como maior frequência de crianças na classificação emergente (36,37%); no segundo artigo, avaliou-se os fatores associados ao risco para o desenvolvimento neuromotor em crianças no segundo ano de vida, utilizando os dados da coorte de nascimento do estudo BRISA. Para a análise dos dados utilizou-se regressão de Poisson com variância robusta e considerou-se somente as informações referentes as classificações “competente e “emergente”. Obteve-se mães com escolaridade até o ensino médio (RR=1,85; IC95%=0,99-3,46; p=0,054), ou até o ensino fundamental (IRR:1,93; IC 95%=0,98-3,82; p=0,058) como fator de risco para o desenvolvimento da comunicação receptiva, estar em união consensual (RR=0,70; IC95%=0,49-1,01; p=0,057), influenciou negativamente o desenvolvimento motor grosso, ter um filho (RR=1,55; IC95%=1.04-2.30; p=0,031) e ser pré-termo (RR: 1,38; IC95%=1,04- 1,81; p=0,024) prejudicou o desenvolvimento motor fino. Um dos fatores de proteção encontrados foi não possuir outros filhos (RR=0,64; IC95%=0,47-0,88; p=0,005) para o desenvolvimento cognitivo; estar na unidade intermediária (RR=0,18; IC95%=0,59-0,55; p=0,003) ou na cama da mãe (RR: 0,48; IC95%=0,26-0,86; p=0,014) beneficiou a comunicação receptiva; pertencer a classe socioeconômica A (RR: 0,64; IC95%=0,43-0,94; p=0,025) protegeu a comunicação expressiva; ser primípara (RR: 0,62; IC95%=0,42-0,92; p=0,019) favoreceu o motor grosso; e estar no berço ao lado da mãe (RR: 0,64; IC95%=0,42- 0,98; p=0,042) beneficiou o motor fino. Conclui-se que o instrumento Bayley-III permitiu a descrição por faixa etária e por área de desenvolvimento apontando o maior número de crianças em estado de risco e emergente para comunicação expressiva. Além de ter evidenciado que o nascimento pré-termo aumentou em 38% as chances de crianças apresentarem comprometimento no desenvolvimento motor fino.
Abstract: The early years of the child's life become of great importance to lay the foundation for their future acquisitions. Early diagnosis becomes increasingly important, and a challenge for the health professional in the assessment and accurate understanding of the meaning of any delay and the limits of normality. This study aimed to evaluate the development of children in the second year of life in a city in northeastern Brazil. Two articles were carried out: the first one described the use of the Bayley III Screening Test in children of two cohorts conducted in the city of São Luís referring to the BRISA Study. A total of 2062 children were evaluated using the Bayley-III instrument, prenatal and birth cohort from January 2010 to June 2011. They were submitted to evaluation of neuromotor development through the Bayley-III instrument in the period from April 2011 to March 2013, in the second year of life. It was observed that the mean age of the children was 16 months, with a minimum of 8 months and a maximum of 24. In the sample, 80.3% were aged less than or equal to 18 months and 15 days. Among the domains selected for competent, emerging and risk classification, expressive communication presented a higher risk for development (5.87%), as well as a higher frequency of children in the emerging classification (36.37%); in the second article, we evaluated the risk factors for neuromotor development in children in the second year of life, using data from the birth cohort of the BRISA study. Poisson regression with robust variance was used for the data analysis and only the information referring to the "competent" and "emergent" classifications was considered. We obtained mothers with schooling up to high school (RR = 1.85, 95% CI = 0.99-3.46, p = 0.054), or until elementary school (IRR: 1.93, 95% CI = 0 , 98-3,82, p = 0,058) as a risk factor for the development of receptive communication, consensual union (RR = 0.70, 95% CI = 0.49-1.01, p = 0.057), influenced (RR = 1.55, 95% CI = 1.04-2.30, p = 0.031) and be preterm (RR = 1.38, 95% CI = 1.04-1.81; p = 0.024) impaired fine motor development. One of the protection factors found was not having other children (RR = 0.64, 95% CI = 0.47- 0.88, p = 0.005) for cognitive development; (RR = 0.88, 95% CI = 0.59-0.55, p = 0.003) or in the mother's bed (RR = 0.48, 95% CI = 0.26-0.86, p = = 0.014) benefited receptive communication; belonging to socioeconomic class A (RR: 0.64, 95% CI = 0.43-0.94, p = 0.025) protected expressive communication; being primiparous (RR: 0.62, 95% CI = 0.42- 0.92, p = 0.019) favored the coarse motor; and being in the cradle next to the mother (RR: 0.64, 95% CI = 0.42-0.98, p = 0.042) benefited the fine motor. It was concluded that the Bayley-III instrument allowed the description by age group and area of development, pointing out the greater number of children at risk and emerging for expressive communication. In addition to showing that preterm birth increased by 38% the chances of children presenting with impairment in fine motor development.
Palavras-chave: Desenvolvimento infantil
Avaliação em saúde
Cognição
Linguagem infantil
Atividade motora
Child Development
Development Neuropsicomotor
Bayley III
Área(s) do CNPq: Saúde Coletiva
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal do Maranhão
Sigla da instituição: UFMA
Departamento: DEPARTAMENTO DE SAÚDE PÚBLICA/CCBS
Programa: PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SAÚDE COLETIVA/CCBS
Citação: LOPES, Monique Kelly Duarte. Avaliação do desenvolvimento de crianças no segundo ano de vida através do Bayley Screening Test III em uma cidade do nordeste brasileiro: Coorte Brisa. 2017. 107 f. Tese (Doutorado em Saúde Coletiva) - Universidade Federal do Maranhão, São Luís, 2017.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: https://tedebc.ufma.br/jspui/handle/tede/tede/2237
Data de defesa: 9-Nov-2017
Appears in Collections:TESE DE DOUTORADO - PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SAÚDE COLETIVA

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
MoniqueLopes.pdfTese4,72 MBAdobe PDFDownload/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.