???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tedebc.ufma.br/jspui/handle/tede/tede/2107
Tipo do documento: Dissertação
Título: HERBÁCEAS EM ÁREAS DE DUNAS DA ILHA DO MARANHÃO: DIVERSIDADE, RIQUEZA E CONSERVAÇÃO.
Título(s) alternativo(s): HERBACES IN THE AREAS OF DUNES OF THE MARANHÃO: DIVERSITY, WEALTH AND CONSERVATION.
Autor: AMORIM, Ingrid Fabiana Fonseca 
Primeiro orientador: ALMEIDA JUNIOR, Eduardo Bezerra de
Primeiro coorientador: LIMA, Patricia Barbosa
Primeiro membro da banca: ALMEIDA JR., Eduardo Bezerra de
Segundo membro da banca: SANTOS FILHO, Francisco Soares
Terceiro membro da banca: AGUIAR, Alana das Chagas Ferreira
Resumo: O litoral brasileiro tem aproximadamente 9.200 km de extensão, apresentando uma variedade de formações geomorfológica, com ambientes e ecossistemas complexos e altamente frágeis. Os ambientes costeiros do Brasil são altamente impactados e explorados, devido à expansão imobiliária, queimadas, dentre outros; ações que tem causado uma forte pressão sobre a vegetação. Nesse contexto, a composição herbácea é de fundamental importância para as dunas, uma vez que vegetação herbácea ajuda na contenção do solo, além de serem consideradas indicadoras de ambientes alterados, por esse estrato serem sensíveis às mudanças bruscas no microclima e do solo. Apesar do Maranhão ter o segundo litoral mais extenso do pais, estudos sobre o estrato herbáceo para áreas de restingas e dunas ainda são escassos. O objetivo deste estudo foi identificar as espécies dominantes nas áreas de dunas, registrar a composição herbácea nas dunas antropizadas e conservadas, além de verificar a diversidade, riqueza e degradação da vegetação. Diante disso, o presente estudo foi desenvolvido nas dunas antropizadas e conservadas da Ilha do Maranhão. As coletas ocorreram entre maio de 2015 e maio de 2016. O estrato herbáceo foi amostrado através do método de parcelas, distribuídas em transectos de 100m, paralelos entre si e perpendiculares ao mar, totalizando 50 parcelas de 1×1m, em cada área. Foram registrados dados como riqueza, diversidade e cobertura vegetal das herbáceas de ambas as áreas. A fim de avaliar a diferença da composição e o grau de antropização nas áreas foram usados os testes: W de Shapiro-Wilk (distribuição dos dados), t de Student (Riqueza de espécies), t de Hutcheson (comparação da diversidade). Ao todo, foram registrados 3.643 indivíduos, inseridos em 91 espécies, 59 gêneros e 27 famílias. Foram amostradas nas dunas antropizadas 2.075 indivíduos, 77 espécies em 24 famílias. Enquanto que nas dunas conservadas registrou-se 1.568 indivíduos, 60 espécies em 25 famílias. As cinco espécies que apresentaram maior valor de importância (VI) para as seis áreas foram: Paspalum maritimum, Paspalum ligulare, Cassytha filiformis, Chamaecrista hispidula e Ipomoea imperati. Os resultados mostraram, através do escalonamento multidimensional não-métrico (NMDS) e da análise de similaridade (ANOSIM) que existe diferença na composição taxonômica entre as áreas antropizadas e conservadas. A riqueza de espécies foi significativamente maior (T = 3,7394; p = 0,0001) nas dunas antropizadas (4,9±2,8) do que nas dunas conservadas (3,9±1,8). A diversidade e equabilidade foram maiores nas áreas conservadas (H’ = 3,464 nats/ind.; J’ = 1,940) do que nas áreas antropizadas (H’ = 3,374 nats/ind.; J’ = 1,799). Tais resultados sugerem que a degradação contribui para a perda da diversidade da flora litorânea, principalmente sobre a composição herbácea. Portanto, se faz necessário estudos adicionais a fim de ampliar e compreender os fatores que possam afetar a composição herbácea de dunas.
Abstract: The Brazilian coastline is approximately 9,200 km long, showing a variety of geomorphological formations, with complex and highly fragile environments and ecosystems. The coastal environments of Brazil are highly impacted and exploited due to real estate expansion, burning, among others; actions that have caused strong pressure on vegetation. In this context, the herbaceous composition is fundamental importance for the dunes, because it helps the containment of the soil and it can be considered indicator of altered environments, because the species are sensitive to abrupt changes in the microclimate and its soil. In the Northeastern, studies on the herbaceous stratum for areas of restingas and dunes are still scarce, despite Maranhão having the second largest coast of the country. The objective of this work was to identify the dominant species in the dune areas, to record the herbaceous composition in the entropized and conserved dunes, in addition to verify the diversity, richness and degradation of the vegetation. The present study was developed in the anthropized and preserved dunes of the Island of Maranhão. The collections occurred between May 2015 and May 2016. The herbaceous stratum was sampled through the plots method, distributed in transects of 100m, parallel to each other and perpendicular to the sea, totaling 50 plots of 1x1m in each area. It was recorded data as richness, diversity and herbaceous vegetation cover of both areas. In order to evaluate the difference in composition and in the degree of anthropization in the areas, the following tests were used: W of Shapiro-Wilk (distribution of data), t Student's (Species richness) and t Hutcheson (Comparing diversity). The results showed, through non-metric multidimensional scaling (NMDS) and similarity analysis (ANOSIM), that there is a difference in the taxonomic composition between the anthropized and conserved areas. The species richness was significantly higher (T = 3.7394; p = 0.0001) in the anthropized dunes (4.9 ± 2.8) than in the preserved dunes (3.9 ± 1.8). The diversity and equability were higher in the conserved areas (H’ = 3,464 nats/ind.; J’ = 1,940) than in the anthropized areas (H’ = 3,374 nats / ind.; J' = 1.799). In total, 3,643 individuals were enrolled in 91 species, 59 genera and 27 families. A total of 2,075 individuals were sampled in the anthropized dunes, 77 species in 24 families. While in the conserved dunes, there were 1,568 individuals, 60 species in 25 families. The five species that presented higher VI for the six areas were: Paspalum maritimum, Paspalum ligulare, Cassytha filiformis, Chamaecrista hispidula and Ipomoea imperati. These results suggest that the degradation contributes to the loss of the diversity of the coastal flora, mainly on the herbaceous composition. Therefore, additional studies are necessary in order to expand and understand the factors that may affect the herbaceous composition of dunes.
Palavras-chave: Antropização; Preservação; Vegetação herbácea
Anthropization; Preservation; Herbaceous vegetation
Área(s) do CNPq: Fitogeografia.
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal do Maranhão
Sigla da instituição: UFMA
Departamento: DEPARTAMENTO DE BIOLOGIA/CCBS
Programa: PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIODIVERSIDADE CONSERVAÇÃO/CCBS
Citação: AMORIM, Ingrid Fabiana Fonseca. HERBÁCEAS EM ÁREAS DE DUNAS DA ILHA DO MARANHÃO: DIVERSIDADE, RIQUEZA E CONSERVAÇÃO.. 2017. [66 folhas]. Dissertação( PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIODIVERSIDADE CONSERVAÇÃO/CCBS) - Universidade Federal do Maranhão, [São Luís] .
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: https://tedebc.ufma.br/jspui/handle/tede/tede/2107
Data de defesa: 20-Feb-2017
Appears in Collections:DISSERTAÇÃO DE MESTRADO - PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIODIVERSIDADE E CONSERVAÇÃO

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Ingrid Fabiana Fonseca.pdfDissertação de Mestrado775,55 kBAdobe PDFDownload/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.