???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tedebc.ufma.br/jspui/handle/tede/tede/1917
Tipo do documento: Tese
Título: O FETICHISMO DA PROLETARIZAÇÃO NA AGRICULTURA: uma análise da produção de soja em Balsas/MA
Título(s) alternativo(s): THE FETISH OF PROLETARIZATION IN AGRICULTURE: an analysis of production of soybeans in Balsas / MA
Autor: BOTELHO, Raimundo Edson Pinto 
Primeiro orientador: SILVA, José de Ribamar Sá
Resumo: O sociometabolismo do capital tem criado relações de produção no campo maranhense que tem se caracterizado pela reprodução dos modelos de desenvolvimento dependente, materializados na produção de commodities agrícolas. Essas relações se baseiam na modernização da agricultura, uso de capital e exploração da força de trabalho. Ao mesmo tempo em que essas relações de produção promovem a desterritorialização da agricultura camponesa, transformam parte dos camponeses em trabalhadores assalariados temporários. Assim sendo, o trabalho tem como objetivo analisar o fetichismo da proletarização na agricultura em uma conjuntura de aprofundamento do capital no campo, de um lado, com as políticas voltadas para o agronegócio, tendo como base a produção de commodities agrícolas, prevalência do capital financeiro sobre o capital produtivo e, de outro, a luta dos trabalhadores em uma conjuntura de crise do marxismo, das instituições da classe trabalhadora e refluxo das lutas sociais. Como percurso, além dos referenciais do materialismo histórico e exploração de dados secundários, realizou-se visitas às unidades de produção de soja ao lado de representantes dos sindicatos de trabalhadores rurais de Balsas. Assim sendo, à guisa de conclusão verificou-se que o avanço do capital com a produção de soja, não foi suficiente para criar um amplo processo de proletarização na agricultura aos moldes daquele existente com os trabalhadores fabris e do setor terciário, uma vez que a atividade agrícola de produção de soja é temporária e os trabalhadores rurais não chegaram a conquistar direitos trabalhistas e previdenciários como aqueles do núcleo central do proletariado. Desse modo, a sobrevalorização do agronegócio e assalariamento rural, em detrimento das relações de produção camponesa de base familiar, resultou no processo de fetichização da proletarização na agricultura, pois, além do trabalho temporário, baixa remuneração, superexploração, trabalho escravo, os trabalhadores rurais possuem organização política frágil. Esse fato, além de fragilizar a luta, permite o avanço ainda mais significativo da agricultura mercantilizada e o recuo da agricultura camponesa de base familiar.
Abstract: The sociometabolism of capital has created relations of production in the Maranhão countryside that has been characterized by the reproduction of models of dependent development, materialized in the production of agricultural commodities. These relationships are based on the modernization of agriculture, use of capital and exploitation of the workforce. These relationships are based on the modernization of agriculture, use of capital and exploitation of the workforce. At the same time as these relations of production promote the deterritorialization of peasant agriculture, they transform part of the peasants into temporary salaried workers . Thus, the objective of this study is to analyze the fetishism of proletarianization in ag riculture in a context of deepening of capital in the countryside, on the one hand, with agribusiness policies, based on the production of agricultural commodities, the prevalence of financial capital On productive capital and, on the other hand, the workers' struggle in a conjuncture of the crisis of Marxism, of the institutions of the working class and of social struggles. As a course, in addition to the references of historical materialism and exploration of secondary data, visits were made to the soybean production units alongside representatives of the rural workers' unions of Balsas. Thus, as a conclusion, it was found that the advance of capital with soybean production was not sufficient to create a broad process of proletarianization in agriculture along the lines of that existing with factory workers and the tertiary sector, since the Agricultural activity of soy production is temporary, and rural workers have failed to conquer labor and social security rights like those of the core of the proletaria t. In this way, the overvaluation of agribusiness and rural wage labor, to the detriment of family-based peasant production relations, has resulted in fetishization of proletarianization in agriculture, since, in addition to temporary work, low remuneration, overexploitation, slave labor, rural workers have fragile political organization. This fact, in addition to weakening the struggle, allows the even more significant advance of commodified agriculture and the retreat of familybased peasant agriculture.
Palavras-chave: Fetichismo;
Proletarização na agricultura;
Campesinato;
Trabalho;
Capital;
Fetishism;
Proletarianization in agriculture;
Peasantry;
Work;
Capital.
Área(s) do CNPq: Políticas Públicas
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal do Maranhão
Sigla da instituição: UFMA
Departamento: DEPARTAMENTO DE ECONOMIA/CCSO
Programa: PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM POLÍTICAS PÚBLICAS/CCSO
Citação: BOTELHO, Raimundo Edson Pinto. O fetichismo da proletarização na agricultura: uma análise da produção de soja em Balsas/MA. 2017. 342 f. Tese (Doutorado em Políticas Públicas) - Universidade Federal do Maranhão, São Luís, 2017 .
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://tedebc.ufma.br:8080/jspui/handle/tede/1917
Data de defesa: 20-Mar-2017
Appears in Collections:DISSERTAÇÃO DE MESTRADO - PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM POLÍTICAS PÚBLICAS

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
RaimundoEdsonBotelho.pdfTese de Doutorado4,17 MBAdobe PDFDownload/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.