???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tedebc.ufma.br/jspui/handle/tede/tede/1789
Tipo do documento: Dissertação
Título: MORTALIDADE POR CÂNCER DE MAMA E CONDIÇÕES DE DESENVOLVIMENTO HUMANO NO BRASIL
Título(s) alternativo(s): MORTALITY FOR BREAST CANCER AND HUMAN DEVELOPMENT CONDITIONS IN BRAZIL
Autor: COSTA, Larissa Di Leo Nogueira 
Primeiro orientador: BATISTA, Rosângela Fernandes Lucena
Resumo: INTRODUÇÃO: O câncer de mama trata-se de uma proliferação exacerbada e incontrolável de células anormais, porém, é um dos cânceres mais estudados por se tratar de um grupo heterogêneo de doenças. É considerado de relativo bom prognóstico se diagnosticado e tratado precocemente, a sobrevida média após cinco anos do diagnostico é de cerca de 80%. Apesar das chances de cura, o câncer de mama ainda é o tipo de câncer que mais mata em mulheres em todo o mundo e tendência de crescimento no decorrer dos anos. OBJETIVO: Analisar a tendência da mortalidade por câncer de mama e as condições de desenvolvimento humano nas capitais do Brasil no período dos quinquênios de 1998 a 2002 e de 2008 a 2012. METODOLOGIA: Trata-se de um estudo descritivo de séries temporais com a utilização do Sistema de Mortalidade para dados sobre mortalidade do câncer de mama e do Índice de Desenvolvimento Humano disponibilizado pelo Atlas Brasileiro Geográfico para dados de condições sociais dos anos. RESULTADOS: Com relação aos dados sociodemograficos, a maior parte das mulheres eram brancas no primeiro e segundo quinquênio (71,13% e 61,47%), escolaridade de 4 a 7 anos de estudo formal (26,22% no primeiro quinquênio e 26,42% no segundo), a idade predominante foram mulheres com 70 anos ou mais (46,21% no primeiro qüinqüênio e 50,29% no segundo). A taxa de mortalidade, foi maior considerando os dez anos nas capitais de Brasília (3,3%), do Rio de Janeiro (1,7%), seguido de Manaus (1,5%), São Paulo (1,4%), Campo Grande, Boa Vista e Cuiabá, todos com 1,3%. E as menores taxas foram demonstradas pela cidade de Palmas (0,3%), Florianópolis (0,5%), Belo Horizonte, Salvador e São Luís com 0,6%. Com relação ao IDH, as cidades que apresentaram maior IDH no ano de 2000 foram Florianópolis (0,76), Vitória e Curitiba com 0,75 e São Paulo com 0,73. As cidades que apresentaram os menores IDHs foram Maceió (0,58), Rio Branco (0,59), Manaus (1,2) e Porto Velho (0,61) e os maiores IDHsno ano de 2010 foram para Florianópolis e Vitória com 0,84, Brasília (0,82), Curitiba (0,76) e Belo Horizonte (0,57). Os menores IDHs foram da cidade de Maceió e Rio Branco com 0,72, Macapá, Porto Velho e Manaus com 0,73. CONCLUSÃO: Através dessa análise podemos concluir que houve crescimento do câncer de mama no Brasil de forma geral, com mortalidade crescente na maioria das capitais estudadas e em relação ao Índice de Desenvolvimento.
Abstract: INTRODUCTION: Breast cancer is an exacerbated and uncontrollable proliferation of abnormal cells, however, it is one of the most studied cancers because it is a heterogeneous group of diseases. It is considered of relative good prognosis if diagnosed and treated early, the average survival after five years of diagnosis is about 80%. Despite the chances of cure, breast cancer is still the type of cancer that kills most women worldwide and trend growth over the years. OBJECTIVE: To analyze the tendency of breast cancer mortality and socioeconomic factors in the capitals of Brazil from 1998 to 2002 and from 2008 to 2012. METHODOLOGY: This is a descriptive study of a time series using the SIM as data on breast câncer mortality and the IDH provided by the Brazilian Geographic Atlas as data on social conditions. RESULTS: With regard to sociodemographic data, the women majority were white in the first and second quinquennial (71.13% and 61.47%), schooling from 4 to 7 years of formal study (26.22% and 26.42 %), The predominant age was women in their 70 years or older (46.21% and 50.29%). Regarding the mortality rate, the prevalence was higher, considering the ten years, were in the capitals of Brasília (3.3), Rio de Janeiro (1.7), followed by Manaus (1.5), São Paulo (1, 4), Campo Grande, Boa Vista and Cuiabá, all with 1.3. And the lowest rates were demonstrated by the city of Palmas (0.3), Florianópolis (0.5), Belo Horizonte, Salvador and São Luís with 0.6. Regarding the IDH, the cities with the highest IDH in 2000 were Florianópolis (0.76), Vitória and Curitiba with 0.75 and São Paulo with 0.73. The cities with the lowest IDH were Maceió (0.58), Rio Branco (0.59), Manaus (1.2) and Porto Velho (0.61), and the highest IDHs in 2010 were in Florianópolis and Vitória 0.84, Brasília (0.82), Curitiba (0.76) and Belo Horizonte (0.57). The lowest IDHs were the cities of Maceió and Rio Branco with 0.72, Macapá, Porto Velho and Manaus with 0.73. Through this analysis we can conclude that there was a general increase in breast cancer in Brazil, with increasing mortality in most of the capitals studied
Palavras-chave: Mortalidade;
Neoplasias da mama;
Condições sociais;
Mortality;
Breasts neoplasms;
Social conditions.
Área(s) do CNPq: Enfermagem de Saúde Pública
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal do Maranhão
Sigla da instituição: UFMA
Departamento: DEPARTAMENTO DE ENFERMAGEM/CCBS
Programa: PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM/CCBS
Citação: COSTA, Larissa Di Leo Nogueira. Mortalidade por câncer de mama e condições de desenvolvimento humano no Brasil. 2017. 55 f. Dissertação (Mestrado em Enfermagem) - Universidade Federal do Maranhão, São Luís, 2017 .
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://tedebc.ufma.br:8080/jspui/handle/tede/1789
Data de defesa: 18-Jan-2017
Appears in Collections:DISSERTAÇÃO DE MESTRADO - PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Larissa Di Leo.pdfDissertação de Mestrado1,11 MBAdobe PDFDownload/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.