???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tedebc.ufma.br/jspui/handle/tede/tede/1675
Tipo do documento: Dissertação
Título: Estado nutricional pré-gestacional, ganho de peso gestacional e peso ao nascer na coorte de nascimento BRISA: uma abordagem com modelagem de equações estruturais
Título(s) alternativo(s): Pre-gestational nutritional status, gestational weight gain and birth weight in the birth cohort BRISA: An approach with modeling of structural equations
Autor: Lima, Raina Jansen Cutrim Propp 
Primeiro orientador: BATISTA, Rosângela Fernandes Lucena
Primeiro coorientador: Ribeiro, Marizelia Rodrigues Costa
Resumo: Objetivo. O presente estudo teve por objetivo analisar os efeitos do estado nutricional pré-gestacional e ganho de peso gestacional no peso ao nascer. Metodologia. Estudo transversal que envolveu 5.024 mães e seus recém-nascidos que participaram do estudo BRISA de São Luís – MA. Os dados foram coletados no ano de 2010 e aplicaram-se dois questionários após o parto: um com dados da mãe e outro do recém-nascido. As variáveis explanatórias principais foram o IMC pré-gestacional e o ganho de peso gestacional. Modelo teórico foi proposto para explicar efeitos totais, diretos e indiretos, utilizando modelagem de equações estruturais na análise, com ajuste para variáveis sociodemográficas, hábitos de vida e comorbidades maternas, tendo como desfecho peso ao nascer. Resultados. O modelo final teve bom ajuste segundo os indicadores RMSEA, CFI/TLI e WRMR. O IMC pré-gestacional teve efeitos total (Coeficiente padronizado CP=0.126; p<0.001) e direto (CP=0.211; p<0.001) positivos no peso do recém-nascido, além de efeito indireto negativo via ganho de peso gestacional total. O ganho de peso gestacional por sua vez apresentou o maior efeito no peso de nascimento (CP=0.280; p<0.001), inclusive modificando o efeito de outras variáveis. Situação socioeconômica, idade materna, situação conjugal mais estável e diabetes gestacional tiveram efeitos totais positivos, enquanto que hipertensão arterial e tabagismo na gestação apresentaram efeitos negativos no peso ao nascer. Uso de álcool durante a gestação não apresentou efeito total. Conclusão. Mães com maior IMC pré-gestacional podem gerar filhos com mais alto peso, assim como aquelas com elevado ganho de peso total. Essas associações ressaltam a necessidade de maior atenção à saúde de mulheres em idade reprodutiva e manutenção do ganho de peso adequado durante a gestação, o que poderá contribuir para a diminuição de riscos de intercorrências maternas e do recém-nascido.
Abstract: Objective. This study aims to analyze the effects of prepregnancy nutritional status and gestational weight gain on birth weight. Methodology. Cross-sectional study involving 5,024 mothers and their newborns who participated in the study BRISA São Luís - MA. Data were collected in 2010 and were applied two questionnaires after delivery: one with maternal data and other newborn´s data. The main explanatory variables were prepregnancy BMI and gestational weight gain. Theoretical model was proposed to explain the total, direct and indirect effects, using structural equation modeling in the analysis, with adjustment for sociodemographic variables, life habits and maternal comorbidities, with the outcome birth weight. Results. The final model had good fit according to indicators RMSEA, CFI / TLI and WRMR. The prepregnancy BMI had total effect (Standardized Coefficient SC=0.126; p <0.001) and direct (SC=0.211; p <0.001) positive on the newborn's weight, plus negative indirect effect on the total gestational weight gain. Gestational weight gain in turn had the highest effect on birth weight (SC=0.280; p <0.001), including modifying the effect of other variables. Socioeconomic status, maternal age, more stable marital status and gestational diabetes had positive total effects, while high blood pressure and smoking during pregnancy had negative effects on birth weight. Alcohol use during pregnancy showed no total effect. Conclusion. Mothers with higher prepregnancy BMI can have children with higher weight, as well as those with high gestational weight gain. These associations highlight the need for greater attention to the health of women of reproductive age and maintaining proper weight gain during pregnancy, which could contribute to reducing risks of maternal complications and newborn.
Palavras-chave: Modelos estatísticos
Peso ao nascer
Ganho de peso gestacional
Gestação
IMC pré-gestacional
Pregnancy
Gestational weight gain
Prepregnancy BMI
Birth weight
Models statistical
Área(s) do CNPq: Saúde Coletiva
Saúde Materno-Infantil
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal do Maranhão
Sigla da instituição: UFMA
Departamento: DEPARTAMENTO DE MEDICINA I/CCBS
Programa: PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SAÚDE COLETIVA/CCBS
Citação: LIMA, Raina Jansen Cutrim Propp. Estado nutricional pré-gestacional, ganho de peso gestacional e peso ao nascer na coorte de nascimento BRISA: uma abordagem com modelagem de equações estruturais. 2016. 101 f. Dissertação (Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva) - Universidade Federal do Maranhão, São Luís, 2016.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://tedebc.ufma.br:8080/jspui/handle/tede/1675
Data de defesa: 18-Feb-2016
Appears in Collections:DISSERTAÇÃO DE MESTRADO - PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SAÚDE COLETIVA

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
RainaLima.pdfDissertação6,34 MBAdobe PDFDownload/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.