???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tedebc.ufma.br/jspui/handle/tede/tede/1650
Tipo do documento: Tese
Título: Efeitos a longo prazo da violência contra a mulher na gestação sobre a criança: Contribuição da coorte BRISA
Título(s) alternativo(s): Long-term effects of violence against women during pregnancy on the child: Contribution of the BRISA cohort
Autor: Pessoa, Kivânia Carla 
Primeiro orientador: SIMÕES, Vanda Maria Ferreira
Resumo: A violência praticada contra gestantes pode ter efeitos no binômio materno-infantil, durante a gestação, no parto, no período puerperal e ao longo da vida. Este estudo teve como objetivo analisar os efeitos da violência praticada contra gestantes no tempo de amamentação exclusiva e no risco para alterações no desenvolvimento da criança, em estudo de coorte prospectivo, utilizando amostra de conveniência da coorte BRISA pré-natal do município de São Luís (Maranhão-Brasil). No primeiro artigo, foi utilizado modelagem de equações estruturais, para analisar os efeitos da violência praticada contra gestantes no tempo de amamentação exclusiva, em amostra de 1.133 mulheres. O modelo proposto foi estimado pelo método dos mínimos quadrados, apresentando bom ajuste segundo os indicadores RMSA (p=0,031), CFI (0,981) TLI (0,979). Violência contra gestantes não teve efeito no tempo de amamentação exclusiva. Gestantes com melhor suporte social (p=0.007), situação conjugal mais estável (p=0,028) e maior idade (p=0,031), parecem amamentar exclusivamente seus filhos por mais tempo. No segundo artigo utilizou-se regressão de Poisson, com modelagem hieraquirzada, para avaliar efeitos da violência contra gestante no risco para alterações no desenvolvimento da criança, utilizando como instrumento o Bayley III Screening Test. A amostra reuniu 981 crianças de 12 a 36 meses. Escolaridade materna inferior a quatro anos aumentou a chance para problemas na comunicação receptiva (Odds Ratio OR=7,3; p<0,001) e domínio cognitivo (OR=4,0; p=0,005). Escolaridade materna de nove a onze anos resultou maior chance para problemas de comunicação expressiva (OR = 1,3; p=0,035) com relação às escolaridades com doze ou mais anos. Nascimento pré-termo aumentou associação de risco para alterações na comunicação expressiva (OR = 1,3; p=0,010), motricidade fina (OR=1,60; p=0,003), e grossa (OR = 1,9; p=0,007). Renda familiar inferior a 1 salário mínimo representou risco para problemas na motricidade grossa (OR=2,3; p=0,033); Violência contra gestantes não apresentou efeito no tempo de amamentação exclusiva, nem nas dimensões do Bayley avaliadas, porém é necessário o rastreamento de situações de conflito familiar desde o início do pré-natal no sentido de proteger a mulher, seus filhos e sua família.
Abstract: Violence against women in pregnancy has short and long term effects. Some complications are visible immediately; others may affect the course of pregnancy, the breastfeeding period and / or development of the child. This study aimed to analyze the effects of violence against women during pregnancy on exclusive breastfeeding duration and the risk for changes in child development in a prospective cohort study conducted in the city of Sao Luis, MA. In the first article, structural modeling equation was used to appreciate the effects of violence against women, on the exclusive breast-feeding duration in a sample of 1,133 women. The tested model was estimated by the method of least squares, with good fit (RMSA <0:08; CFI / TLI> 0.95). Violence against women during pregnancy and mental disorders showed no effects on exclusive breast-feeding duration. Pregnant women with higher perceived social support (p=0.007) and greater stability of marital status (p=0.028), showed higher exclusive breast-feeding time. In the second article, we used Poisson regression, to evaluate the effect of violence against women during pregnancy on the risk for changes in child development, using as a tool the Bayley III Screening Test, and the sample of 981 mother / child dyads. Maternal education represented risk to receptive communication (OR=7.3, CI=2.3 to 22.3), cognitive domain (OR=4.0; CI=1.5 to 10.5), and expressive communication (OR=1.3, CI=1.0 to 1.7); family income lower than one minimum wage represented risk for gross motor (OR=2.3, CI=1.0 to 5.2); preterm birth increased the risk for problems in expressive communication (OR=1.3, CI=1.0-1.6), fine motor skills (OR=1.60, CI=1.16 to 2.20), and gross motor skills (OR=1.9, CI=1.19 to 3.0). Violence had no effect on exclusive breastfeeding duration, or on the Bayley dimensions evaluated, but the tracking of family conflict situations since the beginning of prenatal care to protect the woman is necessary, your children and your family.
Palavras-chave: Gestação
Violência contra a mulher
Amamentação
Desenvolvimento infantil
Violence against women
Pregnancy
Breast-feeding
Child development
Área(s) do CNPq: Saúde Pública
Saúde Coletiva
Saúde Materno-Infantil
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal do Maranhão
Sigla da instituição: UFMA
Departamento: DEPARTAMENTO DE SAÚDE PÚBLICA/CCBS
Programa: PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SAÚDE COLETIVA/CCBS
Citação: PESSOA, Kivânia Carla. Efeitos a longo prazo da violência contra a mulher na gestação sobre a criança: Contribuição da coorte BRISA. 2016. 232 f Tese (Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva) - Universidade Federal do Maranhão, São Luís, 2016.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://tedebc.ufma.br:8080/jspui/handle/tede/1650
Data de defesa: 28-Apr-2016
Appears in Collections:TESE DE DOUTORADO - PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SAÚDE COLETIVA

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
KivaniaPessoa.pdfTese17,37 MBAdobe PDFDownload/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.