???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tedebc.ufma.br/jspui/handle/tede/tede/1496
Tipo do documento: Dissertação
Título: "Eu sou velha?": um estudo sobre significados atribuídos à velhice, junto a mulheres que participam do Trabalho Social com Idosos no SESC – MA, em São Luís
Título(s) alternativo(s): "I am old?": A study about meanings attributed to old age, along with women who participate in Social Work with the Elderly in SESC - MA, in São Luís
Autor: Felipe, Thayza Wanessa Silva Souza 
Primeiro orientador: SOUSA, Sandra Maria Nascimento
Resumo: Este estudo buscou identificar significados atribuídos à velhice a partir de entrevistas com idosas participantes do Trabalho Social com Idosos desenvolvido pelo SESC Deodoro, em São Luís - MA, na intenção de compreender essas experiências vinculadas a marcadores sociais que tornam possível a distinção na maneira como as participantes do grupo vivem essa fase da vida. A investigação partiu do entendimento que categorias utilizadas em medidas direcionadas para grupos etários específicos pressupõem o reconhecimento de princípios universais entre os indivíduos da mesma faixa etária. No caso específico dos idosos, não são levadas em consideração as diferenças e particularidades relacionadas à classe social, as questões de gênero, raça, religião, entre outras, que podem existir entre o grupo. Além disso, no atual contexto, a imagem do envelhecimento ativo vem prevalecendo como um modelo pré-fabricado de estilo de vida correto para essa etapa da vida. É devido à propagação dessa imagem produzida e apoiada por diferentes especialistas que muitos idosos estão se organizando em grupos e programas voltados para a terceira idade que mostram como os que não se sentem velhos devem se comportar. A pesquisa empírica foi constituída com dez mulheres, com idade a partir de 60 anos, que participam das atividades ofertadas pelo TSI. Por meio de entrevistas individuais e focais sem roteiro pré-definido foi permitido que cada uma delas narrasse trechos de suas histórias de vida, a maneira como pensam, se comportam, suas visões de mundo, experiências relacionadas aos seus corpos, as diferentes relações nas quais estão inseridas, com familiares, amigos, companheiros de grupo, entre outras. Para as idosas entrevistadas o significado da atual fase em que vivem é percebido como um momento de prazer, independência e liberdade que não pôde ser por elas vivenciada quando mais jovens. Assim, demonstram, muitas vezes, uma negação da velhice, pois predomina entre elas a noção de que ser velho é sempre o ―outro‖, o que vive dentro de casa e não participa de grupos de convivência. Além disso, a utilização do trabalho com a memória das idosas proporcionou compreender os processos de formação de diferentes sujeitos, indicando a complexidade da compreensão do envelhecimento. Diferentes marcadores sociais se interseccionam na experiência dos sujeitos definidos como idosos, o que influencia diretamente na maneira como cada um vive sua velhice, como também nos significados que associam a essa fase da vida. Assim, análises do envelhecimento não devem se fechar às questões de ordem biológica, pois a velhice enquanto categoria construída politicamente está relacionada com diversos aspectos histórico-sociais.
Abstract: This study aims to identify the meanings attributed to old age based on interviews with elderly participants of Social Work with Elderly (TSI), developed by SESC Deodoro, in São Luís - MA. Focusing on understanding the different ways that these elderly live this phase of life, their experiences were linked to social markers that make possible such distinction. Considering the categories used for specific age groups presuppose the recognition of universal principles between individuals of the same age, in the case of the elderly, they are not taken into account to define differences and peculiarities related to social class, issues of gender, race, religion, among others, that may exist in the group. Moreover, in the current context, the active aging image has prevailed as a ready-made model correct lifestyle to this stage of life. Due the spread of this image, produced and supported by different specialists, that many older people are organizing themselves in groups and programs for seniors that have a set of speeches focused on body maintenance techniques, healthy food, walks, dances, and other forms of leisure that show how those who do not feel old should behave. The empirical research was constituted with ten women, aged from 60 years Who participate assiduously in any activity offered by TSI. Through individual and focus interviews, without pre-defined script, these womens were allowed to tell parts from their life stories, in their way of think, behave, their worldviews, conceptions of old age experience, about their bodies, different relationships in which are embedded with family, friends, peer group, speechs that allowed knowing some of the meanings attributed by these people to be old. For the interviewees, the meaning of the current phase in which they live is perceived as their statements, as a stage of achievements that could not be experienced by them, when younger. It is a moment of pleasure, independence, freedom, which is configured in a stage of life they are living for themselves. So they show often a denial of old age, among them predominates the notion that being old is always the "other", the bad tempered, which does not take care, that lives indoors, not participating groups of coexistence, going against the lifestyle they have. In addition, using the memory of older also provided understand the formation processes of different subjects, indicating the complexity of understanding of aging. Differents socials markers such as class, gender, education, race and religion intersect the experience of established subjects as elderly, which directly influences the way one lives his old age, but also the meanings that associate with that stage of life. Thus, the aging analysis should not be close to the issues of biological, because old age while built category is related to different social aspects.
Palavras-chave: Velhice
Envelhecimento
Trabalho Social com Idosos
Old age
Aging
Social Work with Elderly
Área(s) do CNPq: Serviço Social
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal do Maranhão
Sigla da instituição: UFMA
Departamento: DEPARTAMENTO DE SOCIOLOGIA E ANTROPOLOGIA/CCH
Programa: PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CULTURA E SOCIEDADE/CCH
Citação: FELIPE, Thayza Wanessa Silva Souza. "Eu sou velha?": um estudo sobre significados atribuídos à velhice, junto a mulheres que participam do Trabalho Social com Idosos no SESC – MA, em São Luís. 2015. 139 f. Dissertação (Programa de Pós-Graduação em Cultura e Sociedade) - Universidade Federal do Maranhão, São Luís, 2015.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://tedebc.ufma.br:8080/jspui/handle/tede/1496
Data de defesa: 22-Sep-2015
Appears in Collections:DISSERTAÇÃO DE MESTRADO - PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CULTURA E SOCIEDADE (PGCULT) MESTRADO INTERDISCIPLINAR

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
ThayzaWanessaFelipe.pdfDissertação943,57 kBAdobe PDFDownload/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.