???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tedebc.ufma.br/jspui/handle/tede/tede/1368
Tipo do documento: Tese
Título: Cárie precoce da infância na perspectiva binômio mãe/filho: transmissibilidade de microorganismos ou hábitos de saúde compartilhados?
Título(s) alternativo(s): Early childhood caries in both mother / child perspective: shared health habits or transmission of microorganisms?
Autor: Costa, Elizabeth Lima 
Primeiro orientador: RIBEIRO, Cecília Cláudia Costa
Resumo: Introdução: Diversos fatores de risco estão associados à CPI, dentre eles os S.mutans, apontados como responsável pelo início da doença; a saliva materna, como principal fonte de infecção primária para o filho, os fatores socioeconômicos, os hábitos de dieta e de higiene bucal compartilhados no ambiente familiar. Assim sendo, esta tese foi dividida em dois capítulos: O capítulo I teve como objetivo, analisar a contaminação de S.mutans na mãe mediado pela contaminação de S.mutans no filho em associação com a CPI. O capítulo II teve como objetivo analisar a associação entre o consumo de açúcar de adição pela mãe e a frequência do consumo de açúcar de adição pelo filho. Métodos: A amostra foi composta por 697 pré-escolares de 24 a 71 meses de idade e suas mães. As mães responderam a um questionário sobre saúde geral e bucal da mãe e do filho e questionário de frequência alimentar (QFA), para avaliar a dieta do binômio e o consumo de açúcar de adição pela mãe e consumo de açúcar de adição pelo filho. Mães e filhos foram submetidos a um exame clínico bucal para aferição do índice de cárie (CPOD/ceo), IPV, ISG, análise antropométrica da circunferência da cintura da mãe e exame microbiológico da saliva em 400 pares mães/filhos. Foi elaborado um modelo teórico baseado em diagramas causais (DAGs) que permite o controle de fatores de confusão da forma mais adequada e ao mesmo tempo evita ajustes desnecessários para mediadores mães/filhos. Para o Artigo 1, dois modelos foram sugeridos, ajustados e analisados: um modelo de efeito total e outro modelo de efeito mediado da associação entre contaminação de S. mutans materna e CPI. O teste paramed foi usado para quantificação da proporção do efeito da contaminação de S. mutans materna mediada pela contaminação por S. mutans no filho na CPI. Para o artigo 2, foram sugeridos dois modelos para o estudo da associação entre o consumo de açúcar de adição pela mãe e o consumo de açúcar de adição pelo filho: um modelo de Efeito 1 e um modelo de Efeito 2. A análise de regressão multinomial foi usada para testar os modelos, baseados nos DAGs. Modelo estrutural marginal foi estimado pela ponderação pelo inverso da probabilidade do consumo da exposição, para avaliar a associação entre consumo de açúcar de adição pela mãe e consumo de açúcar de adição pelo filho. Estimou-se o razão de prevalência (RP) e os respectivos intervalos de confiança (IC 95%), a um nível de significância de 5%. Resultados: No modelo de efeito total, foram associadas à CPI, a presença de alta colonização de S. mutans na mãe, as maiores medidas da circunferência da cintura materna; IPV materno; idade da criança ≥ 4 anos e maior frequência de consumo de açúcar pelo filho. No modelo de efeito mediado, a alta colonização materna permaneceu associada à CPI. O teste paramed mostrou a proporção do efeito mediado de 33% da contaminação materna de S. mutans pela contaminação no filho de S. mutans na CPI. No modelo de efeito 1, o segundo e terceiro tercil do consumo de açúcar de adição pela mãe foram associados o segundo tercil do consumo de açúcar de adição pela filho; da mesma forma o segundo e terceiro tercil de consumo pela mãe foram também associados ao terceiro tercil do consumo de açúcar de adição pelo filho. No modelo de efeito 2, todas essas variáveis de consumo maternas também foram associadas aos maiores tercis de consumo do filho; ainda a CC materna ≥88cm também foi associada ao maior tercil de consumo de açúcar pelo filho. No modelo estrutural marginal, o consumo de açúcar de adição pela mãe foi associado ao consumo de açúcar de adição pelo filho. Conclusões: A contaminação de S. mutans no filho media apenas parcialmente a associação da contaminação de S. mutans da mãe na CPI. Outros fatores devem ser considerados no binômio mãe-filho, como hábitos alimentares, práticas de higiene bucal e a história da cárie no ambiente familiar. O consumo de açúcar pela mãe e o maior risco metabólico materno parecem explicar o consumo de açúcar de adição pelo filho na primeira infância.
Abstract: Introduction: Several risk factors are associated with the ECC, including the S. mutans, identified as responsible for the onset of the disease; maternal saliva, the main source of primary infection to the child, socioeconomic factors, dietary habits and oral hygiene shared in the family environment. Thus, this thesis is divided into two chapters: Chapter I aimed at analyzing the contamination of S. mutans in the mother mediated by the contamination of S. mutans in the child together with the ECC. Chapter II aimed at analyzing the association between the consumption of added sugar by the mother and the frequency of the child's added sugar consumption. Methods: The sample consisted of 697 preschool children between 24 and 71 months old and their mothers. The mothers answered a questionnaire on their general and oral health as well as the child and a food frequency questionnaire (FFQ) to assess the diet of the binomial and the consumption of added sugar by the mother and the child. Mothers and children were subjected to an oral clinical examination to measure the caries index (DMF/ceo), IPV, ISG, anthropometric analysis of the mother's waist circumference and microbiological examination of saliva in 400 mothers / children pairs. A theoretical model based on causal diagrams (DAGs) that allows control of confounding factors in the most appropriate manner and at the same time avoids unnecessary adjustments to mothers / children mediators has been prepared. For Article 1, two models have been suggested, adjusted and analyzed: a total effect model and a mediated effect model of the association between maternal contamination S. mutans and ECC. The Paramed test was used to quantify the proportion of maternal S. mutans contamination effects mediated by contamination by S. mutans in the child in the ECC. To Article 2, two models have been suggested to study the association between the consumption of added sugar by the mother and child: an Effect 1 model and an Effect 2 model. The multinomial regression analysis was used to test the models, based on the DAGs. The marginal structural model was estimated by weighting by the inverse of the probability of consumption exposure in order to assess the association between consumption of added sugar by the mother and child. We estimated the prevalence ratio (PR) and confidence intervals (95% CI), in a 5% significance level. Results: In the total effect model, the presence of high colonization of S. mutans in the mother, the largest measurement of the waist circumference of the mother were associated with the ECC; Maternal IPV; child's age ≥ 4 years old and higher frequency of sugar consumption by the child. In the mediated effect model, the high maternal colonization remained linked to the ECC. Paramed test showed the proportion of mediated effect in 33% of maternal contamination of S. mutans by contamination in the child of S. mutans in the ECC. In effect model 1, the second and third tertile of the mother added sugar consumption was associated with the second tertile of added sugar consumption by the child; likewise the second and third tertile of consumption by the mother were also associated with the third tertile of the child's added sugar consumption. In effect model 2, all these variables of maternal consumption were also associated with the greatest child's consumption tertiles; yet maternal CW ≥88cm was also associated with the highest tertile of sugar consumption by the child. In marginal structural model, the consumption of added sugar by the mother was associated with added sugar consumption by the child. Conclusions: The contamination of S. mutans in the child only partially measured the association of the mother's S. mutans contamination in ECC. Other factors must be considered in the mother/child binomial, such as diet, oral hygiene practices and history of caries in the family environment. Sugar consumption by the mother and the highest maternal metabolic risk seem to explain the child's added sugar consumption in early childhood.
Palavras-chave: Cárie dentária
Streptococcus mutans
Açúcar de adição
Dental caries
Added sugar
Área(s) do CNPq: Odontologia
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal do Maranhão
Sigla da instituição: UFMA
Departamento: DEPARTAMENTO DE ODONTOLOGIA I/CCBS
Programa: PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ODONTOLOGIA/CCBS
Citação: COSTA, Elizabeth Lima. Cárie precoce da infância na perspectiva binômio mãe/filho: transmissibilidade de microorganismos ou hábitos de saúde compartilhados?. 2016. 125 f. Tese (Programa de Pós-Graduação em Odontologia) - Universidade Federal do Maranhão, São Luís, 2016.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://tedebc.ufma.br:8080/jspui/handle/tede/1368
Data de defesa: 4-Feb-2016
Appears in Collections:TESE DE DOUTORADO - PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ODONTOLOGIA

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
ElizabethCosta.pdfTese1,09 MBAdobe PDFDownload/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.