Exportar este item: EndNote BibTex

Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://tedebc.ufma.br/jspui/handle/tede/tede/1126
Tipo do documento: Dissertação
Título: SÍNDROME METABÓLICA E CLIMATÉRIO: estudo transversal em pacientes de um ambulatório de ginecologia
Título(s) alternativo(s): METABOLIC SYNDROME AND CLIMACTERIC: sectional study of patients in a gynecology outpatient clinic
Autor: Figuerêdo, Eduardo Durans 
Primeiro orientador: Figueiredo Neto, José Albuquerque de
Primeiro membro da banca: Chein, Maria Bethânia da Costa
Resumo: A incidência de eventos cardiovasculares aumenta após a menopausa. Os estudos existentes não esclarecem se o fator de risco é a deficiência hormonal ou o envelhecimento. A síndrome metabólica (SM) é um transtorno complexo representado por um conjunto de fatores de risco cardiovascular relacionados à obesidade abdominal e à resistência à insulina. A SM aumenta a mortalidade geral em 1,5 vezes e a cardiovascular em cerca de 2,5 vezes. Vários critérios de diagnóstico para SM foram propostos. No Brasil, os estudos sobre a SM na população geral ainda são poucos. Mais raros ainda, os que correlacionam a SM ao climatério. Essa carência de dados, e a importância da SM como fator de risco cardiovascular nos motivou a realizar este estudo. Objetivos - Determinar a prevalência da SM e dos seus componentes em mulheres no climatério, na pré- e pós-menopausa. Avaliar a associação entre a menopausa e outros fatores de risco para a SM. Comparar os critérios de diagnóstico propostos pelo Programa Nacional de Educação em Colesterol III Painel de Tratamento de Adultos (NCEP-ATP III) e pela Federação Internacional de Diabetes (IDF). Metodologia - 323 mulheres climatéricas sintomáticas (40 a 65 anos), com útero intacto e sem uso de terapia hormonal foram incluídas em um estudo transversal no Hospital Tarquínio Lopes Filho, em São Luis MA. Foram constituídos dois grupos: mulheres climatéricas na pré-menopausa e mulheres climatéricas menopausadas. As participantes foram avaliadas para a presença ou não de SM, segundo os critérios do NCEP e da IDF. A associação entre o estado menopausal e a SM foi verificada em modelo de regressão logística simples, estimando-se o odds ratio (OR) e seu intervalo de confiança de 95%. Em modelo de regressão logística múltipla foi calculado o OR do estado menopausal em relação à SM ajustado para outras variáveis. Um p-valor <0.05 foi considerado significante estatisticamente. A avaliação da concordância entre os critérios utilizados foi feita pelo índice kappa de Cohen (k). Resultados - A prevalência de SM no climatério foi de 34,7% (NCEP) e de 49,8% (IDF). Os componentes da SM mais frequentes foram o HDL-c baixo, HAS, obesidade abdominal, hipertrigliceridemia e diabetes em ambos os critérios. A análise multivariada mostrou que a idade é o fator de risco mais importante para o surgimento da SM (p<0,001). A SM esteve presente em 44,4% (NCEP) e 61,5% (IDF) das mulheres menopausadas em comparação a 24% (NCEP) e 37% (IDF) daquelas na pré-menopausa. A concordância entre os critérios de diagnóstico foi boa no climatério (k 0,66) e na pós-menopausa (k 0,63) e moderada na prémenopausa (k 0,55). Conclusões A prevalência de SM foi maior nas mulheres menopausadas que naquelas na pré-menopausa; o principal fator de risco para o aumento da prevalência de SM foi a idade; a menopausa, quando analisada isoladamente, não se constituiu em um fator de risco para a SM; a concordância entre os critérios de diagnóstico propostos pelo NCEP e pela IDF foi boa no climatério e na pós-menopausa, e moderada na pré-menopausa.
Abstract: Incidence of cardiovascular diseases increase after menopause. Current studies are not clear about the role of hormonal deficiency and the ageing as independent risk factors. Metabolic syndrome (MS) is a cluster of cardiovascular risk factors usually related to abdominal obesity and insulin resistance. MS increases general and cardiovascular mortality in 1,5 times and 2,5 times, respectively. Several diagnostic criteria for MS had been proposed. In Brazil, there are few studies concerning MS in general population and fewer correlating the MS to climacteric women. This lack of data and the importance of MS as a cardiovascular risk factor has led us to make this study. Objectives The aim of this study was to evaluate the prevalence of MS and its components in climacteric pre- and post-menopausal women. We also evaluated the association between the onset of menopause and the MS, and the role of other risk factors for MS. To compare diagnostic criteria of MS, proposed by the National Cholesterol Education Program's Adult Treatment Panel III (NCEP) and by the International Diabetes Federation (IDF). Methodology - 323 symptomatic climacteric women (40-65 years old), with intact uterus and not receiving hormonal therapy had been included in a cross-sectional study at Tarquínio Lopes Filho Hospital, São Luís - MA. Two groups were constituted: pre-menopausal climacteric women and menopausal climacteric women. All participants were evaluated for the presence of MS or not, according to both criteria. Association between menopausal status and MS was verified by a model of simple logistic regression, estimating odds ratio (OR) and its confidence interval of 95%. In a model of multiple logistic regression, adjusted OR of menopausal status relative to MS was calculated. A p-value <0,05 was considered statistically significant. Agreement between the two proposed criteria was evaluated by Cohen´s kappa index. Results - The prevalence of MS was 34.7% (NCEP) and 49.8% (IDF) in climacteric women. MS was present in 44,4% (NCEP) and 61.5% (IDF) of menopausal women in comparison to 24% (NCEP) and 37% (IDF) of those in pre-menopause. The most frequent components of MS had been: low HDL-c; hypertension; abdominal obesity; increased triglycerides and diabetes by both criteria. Multivariate analysis found that ageing was the most important risk factor for the increased prevalence of MS (p<0,001). Agreement between the two proposed diagnostic criteria was good in climacteric (k 0,66) and menopausal women (k 0,63) and moderate in premenopausal ones (k 0,55). Conclusions - The prevalence of MS in menopausal women was higher than in premenopausal ones. Menopause was not a risk factor associated with MS, when analyzed separately. Older age was associated with increased odds of MS. Agreement between diagnostic criteria was good in climacteric and menopausal women and just moderate in premenopausal ones.
Palavras-chave: Síndrome metabólica
Climatério
Menopausa
Metabolic syndrome
Climacteric
Menopause
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::MEDICINA::SAUDE MATERNO-INFANTIL
Idioma: por
País: BR
Instituição: Universidade Federal do Maranhão
Sigla da instituição: UFMA
Departamento: saúde da mulher e saúde materno-infantil
Programa: PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SAÚDE MATERNO-INFANTIL
Citação: FIGUERÊDO, Eduardo Durans. METABOLIC SYNDROME AND CLIMACTERIC: sectional study of patients in a gynecology outpatient clinic. 2009. 69 f. Dissertação (Mestrado em saúde da mulher e saúde materno-infantil) - Universidade Federal do Maranhão, São Luis, 2009.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://tede2:8080/tede/handle/tede/1126
Data de defesa: 18-Nov-2009
Aparece nas coleções:DISSERTAÇÃO DE MESTRADO - PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SAÚDE MATERNO-INFANTIL

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
EDUARDO DURANS FIGUEREDO.pdf1,07 MBAdobe PDFBaixar/Abrir Pré-Visualizar


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.