???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tedebc.ufma.br/jspui/handle/tede/tede/3189
Tipo do documento: Dissertação
Título: Neoliberalismo e desigualdade social: reflexos na distribuição de renda da Argentina de 1989 a 2001
Título(s) alternativo(s): Neoliberalism and social inequality: effects on the income distribution of Argentina from 1989 to 2001
Autor: SILVA, Laryssa Costa 
Primeiro orientador: SOUZA, Luiz Eduardo Simões de
Primeiro membro da banca: SOUZA, Luiz Eduardo Simões de
Segundo membro da banca: ALMEIDA, Fernando Roberto de Freitas
Terceiro membro da banca: PREVIDELLI, Maria de Fátima Silva do Carmo
Resumo: A Argentina começou o século XXI com uma profunda crise política e econômica, cujas consequências sociais foram devastadoras. O Estado atingiu um endividamento extremo, deixando de lado as necessidades mais básicas da população, o que resultou em um questionamento generalizado ao respeito das reformas estruturais de base neoliberal impostas pelo Fundo Monetário Internacional. O objetivo deste trabalho é investigar e avaliar como essas reformas adotadas pela Argentina, no período de 1989 a 2001, influenciaram no âmbito da desigualdade social. O colapso da crise de 2001 e as dificuldades socioeconômicas vividas pela Argentina manifestaram o esgotamento das políticas neoliberais. Através de documentos oficiais destacamos o papel que as instituições financeiras internacionais possuíram como propagativas das políticas econômicas neoliberais admitidas na Argentina até a explosão da crise social e durante seu desenvolvimento. A expansão financeira, abertura do mercado comercial, as privatizações das estatais, as reformas trabalhistas e previdenciárias, e a política de austeridade, foram principais ações da agenda neoliberal. Disto concluímos que as consequências das reformas políticas neoliberais resultaram em: uma demanda insuficiente que não sustentava um crescimento a longo prazo, uma economia mais vulnerável a ataques especulativos e uma alta concentração de renda, acompanhada do aumento da pobreza e indigência, do desemprego e a destruição da capacidade de articulação dos trabalhadores. É possível afirmar que o agravamento da desigualdade social da Argentina nesse período foi resultante da dedicação do governo em executar as políticas econômicas promovidas pelo FMI, que atendem aos interesses da classe dominante.
Abstract: Argentina began the 21st century with a deep political and economic crisis, the social consequences of which were devastating. The State reached extreme indebtedness, neglecting the most basic needs of the population, resulting in widespread questioning regarding the neoliberal-based structural reforms imposed by the International Monetary Fund. This work aims to investigate and evaluate how these reforms adopted by Argentina, in the period from 1989 to 2001, influenced the scope of social inequality. The collapse of the 2001 crisis and the socioeconomic difficulties experienced by Argentina showed the exhaustion of neoliberal policies. Through official documents, we highlight the role played by international financial institutions in propagating neoliberal economic policies admitted in Argentina until the explosion of the social crisis and during its development. Financial expansion, opening of the commercial market, privatizations of state-owned companies, labor and social security reforms, and austerity policy were the main actions on the neoliberal agenda. Therefore we conclude that the consequences of neoliberal political reforms resulted in: an insufficient demand that did not support long-term growth, an economy more vulnerable to speculative attacks and a high concentration of income, followed by the increase in poverty and indigence, unemployment and the destruction of workers' ability to articulate. It is possible to affirm that the increase in social inequality in Argentina during this period was the result of the government's dedication to implementing the economic policies promoted by the IMF, which serve the interests of the ruling class.
Palavras-chave: Neoliberalismo
Desigualdade social
Argentina
Concentração de renda
Desemprego
Neoliberalism
Inequality
Argentina
Income concentration
Unemployment
Área(s) do CNPq: Crescimento e Desenvolvimento Econômico
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal do Maranhão
Sigla da instituição: UFMA
Departamento: DEPARTAMENTO DE ECONOMIA/CCSO
Programa: PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO SOCIOECONOMICO/CCSO
Citação: SILVA, Laryssa Costa. Neoliberalismo e desigualdade social: reflexos na distribuição de renda da Argentina de 1989 a 2001. 2020. 152 f. Dissertação (Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Socioeconomico/CCSO) - Universidade Federal do Maranhão, São Luís, 2020.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: https://tedebc.ufma.br/jspui/handle/tede/tede/3189
Data de defesa: 17-Dec-2020
Appears in Collections:DISSERTAÇÃO DE MESTRADO - PROGRAMA DE POS-GRADUAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO SOCIOECONOMICO

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
LARYSSA-SILVA.pdfDissertação de Mestrado1,45 MBAdobe PDFDownload/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.