???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tedebc.ufma.br/jspui/handle/tede/tede/2648
Tipo do documento: Dissertação
Título: Aspectos gerais da coinfecção leishmaniose Visceral / HIV, no Maranhão
Título(s) alternativo(s): General aspects of Visceral leishmaniasis / HIV coinfection in Maranhão
Autor: LIMA, Uiara Regina Silva de 
Primeiro orientador: AZEVEDO, Conceição de Maria Pedrozo Silva de
Primeiro membro da banca: AZEVEDO, Conceição de Maria Pedrozo Silva de
Segundo membro da banca: COSTA, Jackson Mauricio Lopes
Terceiro membro da banca: NETO, Valério Monteiro
Quarto membro da banca: SILVA, Lucilene Amorim
Resumo: Introdução: As leishmanioses são doenças causadas por protozoários do gênero Leishmania apresentando três formas de manifestação clínica: cutânea, mucocutânea e visceral. O cenário clínico da Leishmaniose Visceral (LV) pode ser agravado se houver associação com doença imunossupressora, como no caso da infecção pelo HIV (Vírus da Imunodeficiência Humana) sendo um grande desafio a saúde pública, com evidente expansão dessa para municípios de médio e pequeno porte do interior do país, levando a um aumento do número de casos de co-infecção LV/HIV. Metodologia: O estudo foi realizado no hospital de referência estadual do Maranhão com a comparação de dois grupos (indivíduos com diagnóstico sorológico positiva para HIV co-infectados com LV e pacientes com LV sem HIV) do tipo transversal (2007 à 2017) usado como instrumento de coleta ficha protocolo adaptada do manual de vigilância e controle da Leishmaniose Visceral do Ministério da Saúde de 2006. Objetivo: Dessa forma, este trabalho tem como objetivo analisar o perfil clínico-epidemiológico, terapêutico e evolutivo da coinfecção LV/HIV positivo, comparando com apresentação da LV/HIV negativo, de 2007 a 2017. Resultado: Foram identificados 133 de coinfectados LV/HIV e 37 sem co-infecção. Desses casos o grupo de co-infectados apresentou 89,7% (115) do sexo masculino, sendo mais prevalente na faixa etária dos 30 a 39 anos. A maioria de ambos os grupos, residia no interior do estado com 57,1% (LV/HIV) e 79,3% (LV). Das queixas clínicas observadas na admissão dos pacientes, a Leishmaniose Visceral sem HIV apresentou a maioria delas, sendo febre e queda de cabelo as que apresentaram significância estatística. Na análise do exame físico na admissão dos pacientes, também, a Leishmaniose Visceral sem HIV apresentou a maioria das alterações, chamando atenção emagrecimento, febre, icterícia, hepatomegalia e esplenomegalia, sendo a dispneia a única exceção apresentada apenas nos pacientes co-infectados, com 13,5%(17). O diagnóstico de HIV antecedeu 2,6 anos o de Leishmaniose Visceral (p<0,001). As alterações laboratoriais não apresentaram diferença entre os grupos, exceto por linfopenia apresentada em 23,8% dos casos de pacientes co-infectados com Leishmaniose Visceral e HIV. A Leishmaniose Visceral, por outro lado, apresentou alteração significante nas taxas de transaminases, com aumento de 73% de AST e 57,3% ALT. O tratamento utilizado no grupo de co-infecção foi anfotericina B lipossomal na sua maioria, já no grupo de Leishmaniose Visceral utilizou-se Antimoniato de N-metil-metaglumina (Sbv) (p<0,001). Recidiva e óbito foram observados apenas nos casos de co-infecção com 38,3% (51) e 10,5% (14), respectivamente. Aos fatores associados para recidiva foi febre e para óbito foram encontrados como fatores associados e recidiva (p=0,029) emagrecimento (p=0,044), ureia (p=0,029) e creatinina (p=0,042). Conclusão: A Leishmaniose associada ao HIV apresentou-se com diversas sintomatologias clínicas, não mostrando, na maioria das vezes, a tríade clássica observada na Leishmaniose Visceral isolada, febre, pancitopenia e hepatoesplenomegalia. A co-infecção Leishmaniose Visceral e HIV foi a única síndrome que evoluiu com recidiva e óbito, sendo necessário conhecer os fatores de risco presentes na internação para redução desses desfechos.
Abstract: Introduction: The leishmaniasis are diseases caused by a protozoan of the genus Leishmania, presenting two types of clinical manifestation: American Cutaneous Leishmaniose (ACL) and Visceral Leishmaniasis (VL), the further being caused mainly by the species Leishmania infantum chagasi, present in several regions of Brazil. It is transmitted by the bite of Phlebotomine (sandfly) females infected by Lutzomyia longipalpis, predominant in wild areas, but with a frequency increase in urban areas, including the peripheries of cities. Visceral Leishmaniasis (VL) has different clinical manifestations, it may cause death if not treated properly. The clinical scenario of VL can be aggravated if combined with immunosuppressive disease such as infection by HIV (Human Immunodeficiency Virus). The Acquired Immunodeficiency Syndrome (AIDS) is a big public health issue, with evident expansion of it to medium and small countryside municipalities of the country, causing a crossing with VL, which expands in the opposite direction, leading to an increase in the number of co-infections VL/HIV. Objective: Therefore, this study aims at analyzing the clinic-epidemiologic, therapeutic and evolutive profile of co-infection VL/HIV positive, comparing with VL/HIV negative, from 2007 to 2017. Results: A total of 133 positive VL/HIV and 37 negative VL/HIV were identified. Of those in the co-infected group, 89.15% (115) were male, with prevalence in the 30 to 39 age group. The majority in both groups (co-infected and not co-infected) lives in the countryside, 57.1% of the VL/HIV and 79.3% for the VL. Regarding the clinical complains observed in the patient’s admission, most of it reported by Visceral Leishmaniosis without HIV, fever and hair loss were statistically significant. Likewise, in the physical exam for admission, patients with VL not co-infected with HIV presented most of the alterations, the occurrence of weight loss, fever, jaundice, hepatomegaly and splenomegaly were noticed, and dyspnea was the only exception, present only in co-infected patients, in 13.5% (17) of the cases. The HIV diagnosis preceded the Visceral Leishmaniosis diagnosis in 2.6 years (p<0.001). Laboratory alterations did not present differences between groups, excepting lymphopenia present in 23.8% of the HIV/VL co-infected patients. Visceral Leishmaniosis, on the other hand, presented significant alterations in the transaminases rates, with an 73% increase of AST and 57.3% ALT. The treatment used in the co-infected group was mainly liposomal amphotericin B, yet in the Visceral Leishmaniosis N-methylglucamine antimonate was use (Sbv)(p<0.001). Recurrence and death were observed only in cases of co-infection with 38.3% (51) and 10.5% (14), respectively. Fever was the associated factor to recurrence and death, and for death were find associated factors and recurrence (p=0.029) weight loss (p=0.044), urea (p=0.029) and creatinine (p=0.042). Conclusion: The leishmaniasis associated to HIV was presented with several clinical symptomatology, not showing, most of the times, the classic observed in isolated Visceral Leishmaniosis, fever, pancytopenia and hepatosplenomegaly. The Visceral Leishmaniosis and HIV co-infection was the only syndrome which evolved with recurrence and death, being necessary to know the risk factors present in the interaction to reduction of this outcome.
Palavras-chave: Leishmaniose visceral
HIV/AIDS
Co-infecção
Visceral leishmaniosis
HIV/VL
Co-infection
Área(s) do CNPq: Microbiologia
Microbiologia Médica
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal do Maranhão
Sigla da instituição: UFMA
Departamento: DEPARTAMENTO DE MEDICINA I/CCBS
Programa: PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE/CCBS
Citação: LIMA, Uiara Regina Silva de. Aspectos gerais da coinfecção leishmaniose Visceral / HIV, no Maranhão. 2018. 98 f. Dissertação (Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde/CCBS) - Universidade Federal do Maranhão, São Luís.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: https://tedebc.ufma.br/jspui/handle/tede/tede/2648
Data de defesa: 27-Nov-2018
Appears in Collections:DISSERTAÇÃO DE MESTRADO - PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
UIARA-LIMA.pdfDissertação de Mestrado914,81 kBAdobe PDFDownload/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.