???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tedebc.ufma.br/jspui/handle/tede/tede/2520
Tipo do documento: Dissertação
Título: A fantasia como realidade do sujeito: uma leitura psicanalítica a partir do trabalho do psicólogo com crianças em situação de violência sexual
Título(s) alternativo(s): The fantasy as a reality of the subject: a psychoanalytic reading from of psychologist's work with children in situations of sexual violence
Autor: RODRIGUES, Simone de Miranda 
Primeiro orientador: LAMEIRA, Valéria Maia
Primeiro membro da banca: LAMEIRA, Valéria Maia
Segundo membro da banca: CARVALHO, Isalena Santos
Terceiro membro da banca: FURTADO, Maria Silvia Antunes
Resumo: A partir do trabalho do psicólogo com crianças em situação de violência sexual no contexto jurídico interroga-se sobre esta prática, que tem como referencial teórico de sustentação a teoria psicanalítica. Desta forma, problematiza-se as implicações no trabalho dos profissionais que atendem casos que envolvem questões sexuais entre pessoas de um mesmo contexto familiar, de gerações diferentes, dirigido pela busca de um culpado que deve ser punido. Abre-se uma discussão com a ampliação da noção de sexualidade proposta por Freud que admite a sexualidade infantil e mostra que o sexual é estruturante e sempre traumático. Entrelaça-se esta discussão com a noção de inconsciente, conceito inaugural da psicanálise, assinalando o caminho freudiano e a leitura lacaniana para situar o inconsciente estruturado como linguagem, amparado na teoria dos significantes. Mostra-se que ao atentar ao material empírico, alguns conceitos se correlacionam, tais como: sexualidade, fantasia e Complexo Édipo-Castração. Em seguida aborda-se a constituição do sujeito a partir da proposta formulada por Lacan sobre Estádio do Espelho de onde se evidencia uma precipitação quanto a tomada de posição no social. Apresenta-se a hipótese da primazia do falo como organizador da sexualidade que tem em seu centro o desejo articulado à castração, de onde se evidencia a fantasia como realidade do sujeito, considerando as versões do pai, em última instância o promulgador da Lei, aquele que priva a mãe de reintegrar seu produto. Finaliza-se a discussão retomando a questão inicial sobre a relação do sujeito com a sexualidade e a lei, abrindo novas interrogações que permite um deslocamento sobre a prática que, permeada por impasses e sustentações, possibilita que a fala de uma criança em situação de violência sexual seja considerado para além do rito jurídico, um dito de realidade do sujeito.
Abstract: Starting from the psychologist's work with children in situations of sexual violence in the legal context we had asked in our practice, electing as theoretical referential the psychoanalytic theory. Thus, the implications are discusses in the work of the professionals who treat cases involving sexual matters between persons of the same family background, of different generations, driven by the search for the guilty to be punished. A discussion with the expansion of sexuality notion proposed by Freud admits that infantile sexuality and shows that sex is structural and always traumatic it is open. Interlace this discussion with the unconscious notion of inaugural concept of psychoanalysis, marking the Freudian and Lacanian reading way to situate the unconscious structured as a language, supported the theory of the signifiers. It is shown that to pay attention to empirical data, some concepts are correlated, such as sexuality, fantasy and Oedipus-Castration Complex. Then deals with the constitution of the subject from the proposal made by Lacan's mirror where the stadium is evident precipitation as taking position in the social. It presents the hypothesis of the primacy of the phallus as sexuality organizer which has at its center the articulated desire to castration, where is evidenced fantasy as reality of the subject, considering versions of his father in ultimately the enacting of Law, to that depriving the mother of reintegrating their product. Terminate the discussion resuming the initial question of the subject's relation to sexuality and the law, opening new questions that allows a shift of the practice, which permeated by impasses and supports, enables the speech of a child in situations of violence sex is considered beyond the legal rite, a so-called reality of the subject
Palavras-chave: Psicanálise
Sexualidade
Fantasia
Violência sexual
Psychoanalysis
Sexuality
Fantasy
Sexual violence
Área(s) do CNPq: Psicologia
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal do Maranhão
Sigla da instituição: UFMA
Departamento: DEPARTAMENTO DE PSICOLOGIA/CCH
Programa: PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA/CCH
Citação: RODRIGUES, Simone de Miranda. A fantasia como realidade do sujeito: uma leitura psicanalítica a partir do trabalho do psicólogo com crianças em situação de violência sexual. 2016. 71 f. Dissertação (Programa de Pós-Graduação em Psicologia/CCH) - Universidade Federal do Maranhão, São Luís.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: https://tedebc.ufma.br/jspui/handle/tede/tede/2520
Data de defesa: 5-Sep-2016
Appears in Collections:DISSERTAÇÃO DE MESTRADO - PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
SimoneRodrigues.pdfDissertação de Mestrado595,84 kBAdobe PDFDownload/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.