???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tedebc.ufma.br/jspui/handle/tede/tede/2362
Tipo do documento: Tese
Título: ANÁLISE ESPACIAL DA OCORRÊNCIA DE LEISHMANIOSE VISCERAL NO BRASIL.
Título(s) alternativo(s): SPATIAL ANALYSIS OF VISCERAL LEISHMANIASIS OCCURRENCE IN BRAZIL.
Autor: FONTOURA, Iolonda Graepp 
Primeiro orientador: SILVA, Ana Lúcia Abreu
Primeiro coorientador: BARBOSA, David Soeiro
Primeiro membro da banca: SILVA, Ana Lúcia Abreu
Resumo: A Leishmaniose Visceral Humana (LVH) é uma doença de grande significância epidemiológica, tornando-se um problema de saúde pública, com altos índices de morbidade e mortalidade; e em regiões onde ocorre a sobreposição geográfica da LVH e do vírus imunodeficiência humana (HIV), estes índices são ainda maiores. O objetivo deste estudo foi identificar padrões espaciais da distribuição da leishmaniose visceral no Brasil entre os anos de 2001 e 2015. A metodologia utilizada foi um estudo ecológico e exploratório, utilizando as ferramentas de geoprocessamento para elaborar mapas temáticos, construídos pelo software TerraView 4.2.2, com dados secundários obtidos do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e do Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde (DATASUS). Esse software nos permitiu obter os valores de Moran global – I e Moran local – LISA. Foram relatados 53.994 casos de leishmaniose visceral no período de estudo entre 2001 e 2015, com uma taxa média anual (TMA 2,59/100.000 habitantes (hab.)); sexo masculino, 33.502 (62%, TMA 2,43/100.000 hab.); maior incidência entre indígenas (TMA 2,91/100.000 hab.); faixa etária prevalente entre 1 e 4 anos (30%); maior incidência em <1 ano (TMA 3,76/100.000 hab.); 3.589 óbitos (taxa 0,12/100.000 hab.); proporção maior na região Nordeste, 29.968 (56%); maior incidência na região Norte (TMA 7,04/100.000 hab.). Maranhão foi o prevalente, com 8.194 (15%) dos casos notificados; maior índice no estado do Tocantins (TMA 21,65/100.000 hab.); 2.231 casos de coinfecção LVH/HIV no período de estudo entre 2007 e 2015 (TMA 0,13/100.000 hab.), em 204 municípios brasileiros (4%). As principais características epidemiológicas dos casos de coinfecção LVH/HIV foram: acomete principalmente homens (77%; TMA 0.20/100.000 hab.); prevalente na faixa etária entre 20 e 39 anos (51%), com maior TMA entre 40 e 59 anos (TMA 0.20/100.000 hab.); concentra-se principalmente na região Nordeste (51%), com maior TMA na região Centro-Oeste (TMA 0.26/100.000 hab.); elevada concentração de casos em Minas Gerais (17%), com maior TMA no estado do Mato Grosso do Sul (TMA 1.17/100.000 hab.). O índice de Moran global foi de 0,46 (p<0,01), o que indicou similaridade entre municípios com presença de autocorrelação espacial significativa. Foi possível observar a presença de aglomerados análogos entre os municípios vizinhos nos mapas temáticos de LVH, Leishmaniose Visceral Canina (LVC), LVH/HIV, HIV, lixo, sem rede de esgoto e menor índice de desenvolvimento humano (IDH). Os mapas de Moran Map relativos à região Nordeste, parte da região Centro-Oeste, parte da região Norte e LISA Map mostraram aglomerados estatisticamente significantes (p<0,001). Conclui-se que a técnica de geoprocessamento possibilitou a detecção e a análise dos aglomerados de taxas de LVH com as variáveis propostas, bem como os locais com maiores e menores necessidades de intervenção. Foi possível observar uma diminuição gradativa nas TMA da LVH, manutenção das taxas de mortalidade e discreta diminuição nas TMA de casos novos, porém aumento significativo no número de casos de coinfecção LVH/HIV.
Abstract: Visceral Human Leishmaniasis (LVH) is a disease of great epidemiological significance, becoming a public health problem with high morbidity and mortality rates; and in regions where the geographical overlap of LVH and human immunodeficiency virus (HIV) occurs, these rates are even higher. The objective of this study was to identify spatial patterns of the distribution of visceral leishmaniasis in Brazil between the years 2001 and 2015. The methodology used was an ecological and exploratory study, using geoprocessing tools to elaborate thematic maps, constructed by the software TerraView 4.2.2 , with secondary data obtained from the Brazilian Institute of Geography and Statistics (IBGE) and the Department of Informatics of the Unified Health System (DATASUS). This software allowed us to obtain the values ​​of global Moran - I and local Moran - LISA. A total of 53,994 cases of visceral leishmaniasis were reported in the study period between 2001 and 2015, with an average annual rate (TMA 2.59 / 100,000 inhabitants (hab.)); male, 33,502 (62%, TMA 2.43 / 100,000 people); higher incidence among indigenous people (TMA 2.91 / 100,000 inhabitants); prevalence between 1 and 4 years (30%); greater incidence in <1 year (TMA 3.76 / 100,000 inhabitants); 3,589 deaths (rate 0.12 / 100,000 inhabitants); higher proportion in the Northeast region, 29,968 (56%); incidence in the Northern region (TMA 7.04 / 100,000 inhabitants). Maranhão was the prevalent, with 8,194 (15%) of the reported cases; highest index in the state of Tocantins (TMA 21.65 / 100,000 inhabitants); 2,221 cases of LVH / HIV coinfection in the study period between 2007 and 2015 (TMA 0.13 / 100,000 inhabitants), in 204 Brazilian municipalities (4%). The main epidemiological characteristics of the cases of LVH / HIV coinfection were: mainly men (77%, TMA 0.20 / 100,000 inhabitants); prevalent in the age group between 20 and 39 years old (51%), with higher TMA between 40 and 59 years old (TMA 0.20 / 100,000 inhabitants); is concentrated mainly in the Northeast region (51%), with the highest TMA in the Central West region (TMA 0.26 / 100,000 inhabitants); high concentration of cases in Minas Gerais (17%), with the highest TMA in the state of Mato Grosso do Sul (TMA 1.17 / 100,000 inhabitants). The overall Moran index was 0.46 (p <0.01), which indicated similarity among municipalities with significant spatial autocorrelation. It was possible to observe the presence of similar clusters between the neighboring municipalities in the thematic maps of LVH, Visceral Canine Leishmaniasis (LVC), LVH / HIV, HIV, trash, without sewage network and lower human development index (HDI). Moran Map maps for the Northeast region, part of the Center-West region, part of the North region and LISA Map showed statistically significant clusters (p <0.001). It is concluded that the geoprocessing technique allowed the detection and analysis of the agglomerates of LVH rates with the proposed variables, as well as the sites with higher and lower intervention needs. It was possible to observe a gradual decrease in the LVH TMA, maintenance of mortality rates and a slight decrease in the TMA of new cases, but a significant increase in the number of cases of LVH / HIV coinfection.
Palavras-chave: Análise Espacial; Leishmaniose Visceral Humana; Leishmaniose Visceral Canina; Indicadores Ambientais; Análise de Aglomerados; Brasil
Spatial Analysis; Human Visceral Leishmaniasis; Leishmaniasis Visceral Canine; Environmental Indicators; Analysis of Clusters; Brazil
Área(s) do CNPq: Epidemiologia Animal.
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal do Maranhão
Sigla da instituição: UFMA
Departamento: DEPARTAMENTO DE BIOLOGIA/CCBS
Programa: PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE/CCBS
Citação: FONTOURA, Iolonda Graepp. Análise Espacial da ocorrência de Leischimaniose Visceral no Brasil.. 2018. 1f. Tese( Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde/CCBS) - Universidade Federal do Maranhão, São Luís.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: https://tedebc.ufma.br/jspui/handle/tede/tede/2362
Data de defesa: 2-Jul-2018
Appears in Collections:TESE DE DOUTORADO - PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
RESUMO DE IOLANDA GRAEPP FONTOURA.pdfTese de Doutorado.108,94 kBAdobe PDFDownload/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.