???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tedebc.ufma.br/jspui/handle/tede/tede/1230
Tipo do documento: Dissertação
Título: VIOLÊNCIA NA GRAVIDEZ: caracterização de casos em São Luís (MA) no ano de 2010
Título(s) alternativo(s): Violence in pregnancy: St. Louis (MA) cases characterization in the year 2010.
Autor: Aguiar, Lia Cardoso de 
Primeiro orientador: BATISTA, Rosângela Fernandes Lucena
Primeiro membro da banca: Coutinho, Nair Portela Silva
Segundo membro da banca: Alves, Maria Teresa Seabra Soares de Britto e
Resumo: A violência contra mulher é um problema de saúde pública complexo que pode estar presente até mesmo em um período da vida da mulher em que seu bem-estar deveria ser especialmente assegurado: a gestação. Há poucas pesquisas sobre a caracterização da violência contra a mulher. Mais escassas ainda são estudos que caracterizem a ocorrência e o tipo de violência contra a mulher durante o período gestacional. O objetivo deste estudo foi descrever as características da violência perpetrada contra gestantes, na cidade de São Luís (MA) em 2010. A estratégia metodológica utilizada consistiu na realização de entrevistas estruturadas (questionário) com 1446 gestantes, de gravidez única, idade gestacional de 22 a 25 semanas confirmada por ultrassom realizada no primeiro trimestre gestacional, em unidades de saúde e serviços de ultrassonografia da rede pública e privada. Para avaliar violência durante a gestação foi utilizado um questionário da OMS - Estudo Multipaíses sobre Saúde da Mulher e Violência contra a Mulher. Os dados foram analisados e distribuídos em tabelas e gráfico categorizados por frequência e porcentagens. Não foram utilizados testes estatísticos. A análise dos dados revelou que a violência esteve presente durante a gestação de 49,65% mulheres, sendo a violência psicológica a mais frequente. O aumento da violência sexual durante a gravidez foi expressivo (11,29%). Observou-se que independente do tipo de violência física, sexual e/ou psicológica as gestantes apresentaram o mesmo padrão socioeconômico: idade entre 20 a 34 anos, cor da pele parda, com 9 a 11 anos de estudo, morar com o companheiro e não ter filhos no domicílio, encontrar-se fora da população economicamente ativa, a maioria contava com renda familiar entre 1 a menor que 3 salários mínimos e ser da classe C. O atual marido/companheiro/namorado foi apontado como autor da agressão na maioria das ocorrências. Conclui-se que a violência contra a mulher, pode acontecer a qualquer momento, inclusive na gravidez, independente de cor, escolaridade ou classe social e de diferentes formas (violência física, sexual e/ou psicológica).
Abstract: Violence against women is a complex public health problem which can be present even in a moment of the woman's life when her well-being should be assured: pregnancy. There are a few researches on how violence towards women is characterized. Even more scarce are the studies that characterize the occurrence and kind of violence against women during pregnancy. This study aimed at describing the violence against women in the city of São Luís (MA) in the year 2010. The methodology used consisted of structured interviews (questionnaires) with 1446 pregnant women, only one pregnancy, from 22 to 25 weeks bearing the child, confirmed by ultrasound made in the first trimester and in facilities of both public and private health system. To assess the violence during pregnancy a WHO questionnaire was used Multicountry Study about Women's Health and Violence Against Women. The data was analyzed and distributed in frames and graphic categorized by frequence and percentage. Statistic tests were not used. Data analysis revealed that violence was present during in 49,65% of the pregnancies, being psychological violence more frequent. The increase in sexual violence was expressive during pregnancy (11,29%). It was observed that regardless the kind of violence physical, sexual and/or psychological the pregnant women showed the same social-economic standard: aged between 20 and 34, dark skin, between 9 and 11 years of study, living with a partner and not having kids at home, being out of the economical active population, having family wage between 1 and less than 3 minimum wages and being from the C class. The current husband/partner/boyfriend was pointed as being the aggressor in most cases. It is concluded that violence against women can happen any time, including pregnancy, regardless skin color, schooling, social class, and in different ways (physical, sexual and/or psychological).
Palavras-chave: Violência contra a mulher
Gravidez
Cuidado pré-natal.
Violence against women
Pregnancy
Prenatal care.
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::SAUDE COLETIVA
Idioma: por
País: BR
Instituição: Universidade Federal do Maranhão
Sigla da instituição: UFMA
Departamento: SAÚDE DA FAMÍLIA
Programa: REDE NORDESTE DE FORMAÇÃO EM SAÚDE DA FAMÍLIA - RENASF
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://tedebc.ufma.br:8080/jspui/handle/tede/1230
Data de defesa: 10-Mar-2014
Appears in Collections:DISSERTAÇÃO DE MESTRADO - REDE NORDESTE DE FORMAÇÃO EM SAÚDE DA FAMÍLIA

Files in This Item:
File SizeFormat 
LIA CARDOSO DE AGUIAR.pdf1,37 MBAdobe PDFDownload/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.